Rincon Sapiência fecha o ano do rap brasileiro com lançamento de EP; ouça

Em entrevista à CNN, rapper conta detalhes e bastidores da produção, além da expectativa para 2022, com material acumulado para álbum novo e missão de agenciar novos artistas da periferia de SP

“É impossível você desassociar o rap e a moda.” Neste lançamento, ao invés de grifes famosas, Rincon valoriza “a mão de obra por trás das roupas”, com produções de alfaiatarias da Zona Leste paulistana.
“É impossível você desassociar o rap e a moda.” Neste lançamento, ao invés de grifes famosas, Rincon valoriza “a mão de obra por trás das roupas”, com produções de alfaiatarias da Zona Leste paulistana. Foto: Andreh Santos / Reprodução

Léo Lopesda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Desde que o hit “Ponta de Lança (Verso Livre)” colocou Rincon Sapiência em destaque entre os novos rappers brasileiros, no final de 2016, o dia 26 de dezembro foi transformado em sua data especial para lançamentos.

Superstição ou tradição, neste domingo (26), ele fecha o ano do rap brasileiro em um EP com duas músicas: “De Onde Cê Vem (Verso Livre)” e “Serenata”.

Em entrevista à CNN, o rapper conta detalhes e bastidores da produção do lançamento, a possibilidade de chegada de seu terceiro álbum em 2022 e a missão de dar destaque a novos artistas da periferia de São Paulo através de seu selo MGoma.

Ouça o EP “O Peso das Barra”: 

A faixa que abre o lançamento, “De Onde Cê Vem (Verso Livre)”, surgiu de uma brincadeira em agosto, durante um episódio do “RAP, falando” – podcast musical com foco especial no hip hop.

Rincon participou de um quadro no qual os rappers convidados apresentam um “verso livre” – de maneira resumida, uma produção caracterizada pela cadência das rimas feita de forma irregular, com versos sem métrica definida.

O artista conta que poucos dias antes de participar da gravação, conversou com o DJ do podcast, 808 Luke, e pediu um beat “sem muitas informações” para rimar em cima.

“Foi tudo bem orgânico, rápido”, explicou ao dizer que terminou de escrever os versos pouco antes do programa.

Embalada pela repercussão boa nas redes sociais, a música foi escolhida para o seu especial de fim de ano, em 2021.

“O rap consegue fazer o retorno. Abrir caminho, passar o trator. E nessa prática, os pretos tá ganhando menos, é um fator”
De Onde Cê Vem (Verso Livre) – Rincon Sapiência

Produção em giro europeu

Afastado dos palcos por meses pela pandemia de Covid-19, o reencontro de Rincon com o público acabou por acontecer do outro lado do Atlântico.

A primeira apresentação foi na cidade suíça da Basileia. Mas foi duas semanas depois, na capital portuguesa de Lisboa, que a segunda música do lançamento, “Serenata”, ganhou forma.

Ela é produzida em parceria com o rapper Timor YSF – criado em Portugal, mas com raízes profundas em Cabo Verde –, que Rincon conheceu nos bastidores de um festival em 2018.

“Eu pesquiso muita música dos países de língua portuguesa. Meu plano era justamente, depois de entregar os shows, me conectar com artistas de lá”, contou o rapper à CNN.

Os dois passaram a se acompanhar nas redes sociais e, com o retorno a Portugal em 2021, a parceria aconteceu.

“Cabeça queima no travesseiro. Eu quero terra, eu não sou herdeiro. Dinheiro gira como ciclone. Dá uma volta, e logo some. Quando a barriga ronca de fome. Ninguém escolhe aquilo que come.”
Serenata – Rincon Sapiência e Timor YSF

Conexão de quebradas

A produção de “Serenata” rendeu também um clipe, com lançamento previsto para o fim da tarde deste domingo (26).

As primeiras imagens foram rodadas na região em que o rapper Timor YSF cresceu, a “Cova da Moura”. O bairro fica na periferia da região metropolitana de Lisboa, e é tradicionalmente ocupado por famílias migrantes.

“Eu me senti muito em casa lá, e tenho uma gratidão enorme”, relembra Rincon.

A produção foi finalizada com gravações em alfaiatarias da Zona Leste de São Paulo, berço do rapper, que cresceu na Cohab 1, de Itaquera.

“É impossível você desassociar o rap e a moda.”

Expectativa para 2022

O lançamento do EP “O Peso das Barra” é o primeiro passo no planejamento do rapper para o ano que vem.

Com uma série de singles acumulados desde o lançamento de seu último álbum, “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps”, em 2019, Rincon faz mistério sobre quando o terceiro álbum da carreira chegará.

“Posso dizer que temos bastante material. Temos mais novidades, e prometo que músicas não vão faltar. Estou com uma expectativa muito grande”, disse.

“Eu sei que esse álbum vai acontecer, vai dar uma sequência. No momento oportuno a gente vai passar. O que me deixa animado são as possibilidades com o material que já tenho e as colaborações que existem”, complementa.

Aos 36 anos, o rapper recentemente completou três anos de carreira empresarial a frente do selo MGoma. Nessa empreitada, agenciando a carreira de jovens artistas, Rincon tenta ser “um facilitador” para novos rappers da periferia de São Paulo.

Somente na última semana, dois novos artistas entraram para o catálogo do selo, e a expectativa dele é aprofundar essa expansão.

“Faço música desde os 15 anos, e sempre tive que sair da quebrada para ir até os estúdios e fazer contatos. Hoje, pela história que eu já tenho, eu posso ser um facilitador para que as pessoas consigam acessar a música, e trabalhar da forma adequada sem sair da sua região”, concluiu.

Mais Recentes da CNN