O gol de R$ 1 bi: Vinicius Jr., Rodrygo e Reinier são o futuro do Real Madrid


Da CNN Brasil, em São Paulo
04 de março de 2020 às 23:42 | Atualizado 05 de março de 2020 às 06:33
Vinicius Jr. comemora gol contra o Club Brugge

Vinicius Jr. comemora gol contra o Club Brugge pela Liga dos Campeões da Europa (11.dez.2019)

Crédito: Divulgação/ Real Madrid
 
Quando Vinicius Jr. foi o melhor jogador no Santiago Bernabéu no último clássico contra o Barcelona, no dia 1º de março, o Real Madrid não ganhou apenas uma partida, mas a confiança de que mudanças nos bastidores do clube começaram a dar resultados.

Maior clube do mundo, o Real Madrid sempre se notabilizou por suas contratações bombásticas. Os “galáticos” tiveram sua primeira versão em 2002, com um time que contava com Ronaldo, Beckham, Figo, e em sua reedição na década de 2010, com craques da estirpe de Kaká e Cristiano Ronaldo.

O clube colheu sucessos, mas também ganhou concorrência nas contratações de grandes cifras, com clubes como Manchester United, Manchester City, Chelsea e Paris Saint German disputando quem consegue oferecer mais às novas estrelas que despontam no cenário do futebol.

Diante do fim de sua superioridade financeira, o Real Madrid e seu presidente, Florentino Perez, mudaram a maneira de pensar. Cansado de perder disputas financeiras para trazer grandes craques, como Neymar, deixaram de olhar para jogadores cujo potencial era óbvio e notório e passaram realizar trabalho de garimpo de novos talentos. Sua mina favorita? O Brasil.

“Essa é uma nova modalidade de negócios para o Real Madrid, que agora está investindo em novos jogadores para sair do circuito. Muitas vezes no passado recente a equipe quis jogadores consagrados e ficou a ver navios”, explicou a apresentadora da CNN Brasil Cris Dias

Foi dessa maneira que, antes mesmo de se tornarem grandes craques em seu país, Vinicius Jr. (19 anos), Rodrygo (19 anos) e Reinier (18 anos) foram vendidos para a Espanha. O Real Madrid abordou e contratou todos estes jogadores antes de completarem a maioridade, e, por conta da lei espanhola, que proíbe estrangeiros menores de idade de atuar em clubes profissionais, os brasileiros puderam ver os três atuando no Brasil.

Contando bônus, salários e outros custos, o três juntos custaram aos cofres de Madrid R$ 1 bilhão. Vinicius Jr. foi contratado do Flamengo por R$ 204 milhões, assim como Reinier, que custou aos Merengues R$ 140 milhões. Já Rodrygo, cria do Santos, foi por R$ 170 milhões.

Considerada estratégia de longo prazo, a aposta do Real Madrid nas joias brasileiras começaram a dar frutos. Com menos de 20 anos, Rodrygo já anotou gol em Champions League, enquanto Vinicius pôde dizer que já deixou o seu em partidas da Libertadores, Champions e El Classico.

Reinier, o mais jovem da turma, chegou apenas em janeiro de 2020 na Europa, e ainda atua no Real Madrid Castilla, time B do gigante mundial.

A perspectiva do trio é longa.