Polícia paraguaia prende Ronaldinho Gaúcho e Assis por uso de documentos falsos


Luiz Raatz Da CNN Brasil, em São Paulo
06 de março de 2020 às 22:15 | Atualizado 07 de março de 2020 às 17:21
Passaporte paraguaio adulterado usado por Ronaldinho Gaúcho

Passaporte paraguaio adulterado usado por Ronaldinho Gaúcho ao entrar no país; ele e o irmão foram detidos em hotel na região metropolitana de Assunção

Foto: MP do Paraguai - 5.mar.2020/ Divulgação

A polícia paraguaia prendeu na noite desta sexta-feira (6) o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e o irmão dele, Assis, por uso de documentos falsos. A informação da prisão foi confirmada à CNN Brasil por uma fonte do MP (Ministério Público) do país que está envolvida na investigação.

A prisão ocorreu em Assunção, a pedido do Ministério Público. Os irmãos foram detidos em um hotel e levados a uma unidade especializada da polícia. Segundo a fonte do MP ouvida pela CNN Brasil, as autoridades temiam que os irmãos fugissem do país. 

Mais cedo nesta sexta, procuradores paraguaios chegaram a anunciar que Ronaldinho e Assis não seriam formalmente acusados pelo porte dos documentos adulterados. O jogador teria reconhecido sua culpa e aceitado cumprir uma punição alternativa.

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Assis, com procuradores no Paraguai

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Assis, com procuradores no Paraguai

Foto: Divulgação/MP do Paraguai
 
"Estamos buscando uma alternativa que não resulte em uma acusação formal e que reconheça que estas pessoas foram, digamos assim, pegas de surpresa", declarou na ocasião o procurador Federico Delfino a jornalistas em Assunção, segundo a Reuters.

De acordo com Delfino, Ronaldinho e Assis disseram que os passaportes foram um presente, e que receberam os documentos assim que desembarcaram em Assunção. Eles embarcaram no aeroporto internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, com passaportes brasileiros.

Antes da prisão, o advogado dos irmãos, Adolfo Marin, disse não saber por que motivo seus clientes usaram passaportes paraguaios. Por causa do Mercosul, brasileiros podem entrar no Paraguai portando a carteira de identidade.

O advogado não foi localizado pela CNN Brasil após a prisão.

Ronaldinho deixa a Suprema Corte do Paraguai após depoimento

Ronaldinho deixa a Suprema Corte do Paraguai após depoimento 

Foto: Jorge Adorno - 6.mar.2020/Reuters

 

Depoimento à Justiça

Nesta tarde, Ronaldinho e Assis prestaram depoimento ao juiz Milko Valinotti por cerca de seis horas, segundo a imprensa paraguaia. O magistrado discordou da atitude branda dos procuradores e mandou o Ministério Público dar um novo parecer em até 10 dias. Também pediu que o MP se posicionasse a favor ou contra a prisão preventiva para evitar fuga do país.

Os procuradores, então, emitiram o pedido de prisão (veja abaixo).

Pedido de prisão feito pelo Ministério Público contra Ronaldinho Gaúcho e Assis

Pedido de prisão contra Ronaldinho Gaúcho e Assis

Foto: Reprodução

Ronaldinho e Assis saíram livres da audiência, mas foram detidos pouco depois pela Polícia Nacional no Sheraton, segundo hotel no qual se hospedaram em Assunção desde que chegaram ao país.

Segundo a Reuters, Assis e Ronaldinho estavam no Paraguai a convite do dono de um cassino. Eles chegaram ao país na quarta-feira (4), onde participaram do lançamento de um livro e de um evento de futebol com crianças.