RJ: clubes se dividem sobre retorno; Botafogo e Flu querem impugnar arbitral

Marcello Crivella diz que a volta do Campeonato Carioca vai depender da curva de casos da doença no próximo mês

Da CNN, em São Paulo*
25 de maio de 2020 às 23:59 | Atualizado 26 de maio de 2020 às 03:53
Jogadores do Botafogo entram em campo utilizando máscaras de proteção antes da interrupção do futebol no Rio de Janeiro
Foto: Ricardo Moraes/ Reuters (15/03/2020)

Os clubes cariocas seguem divididos quanto à volta do futebol. Seguindo diversos protocolos de segurança para evitar o novo coronavírus (Covid-19), Vasco e Flamengo defendem a volta dos jogos. Do outro lado, Botafogo e Fluminense se mantêm contrários e pedem agora o cancelamento do arbitral da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), que tinha o aval da Prefeitura do Rio de Janeiro para voltar aos treinos nesta semana e prevê o reinício do campeonato estadual em 14 de junho.

Em coletiva nesta segunda (25), o prefeito do Rio, Marcello Crivella explicou que o retorno da competição vai depender da curva de casos da doença no próximo mês: “Nós propusemos jogos em julho sem torcida, mas os clubes pediram para verificar a curva em meados de junho. Se será na segunda quinzena de junho a volta do Carioca, ainda não podemos prometer”.

Alvinegros e tricolores não estiveram presentes na reunião da Ferj com a Prefeitura e agora pedem o cancelamento das decisões tomadas pelo Arbitral. O documento, assinado pelos presidentes Nelson Mufarrej e Mário Bittencourt (Botafogo e Fluminense), traz 30 itens e considera precoce o retorno do futebol, indicando como desnecessário colocar em risco a saúde de atletas, funcionários e familiares deles neste momento.

Uma saída apontada pelo arbitral seria realizar jogos em locais menos afetados pela pandemia. Segundo o boletim divulgado na noite desta segunda pela Secretaria Estadual de Saúde, o Rio tem 39.298 casos e Covid-19 e 4105 óbitos. Deste número, 22.466 casos se concentram na capital, que registra 2.831 mortes.

* Com Agência Brasil