F1: Williams é vendida a grupo de investimento privado Dorilton Capital, dos EUA


Da CNN
21 de agosto de 2020 às 09:11 | Atualizado 21 de agosto de 2020 às 11:39
Williams seguirá nas corridas com o mesmo nome

Escuderia seguirá nas corridas com o mesmo nome e permanecerá com sua sede na Inglaterra

Foto: Divulgação / Williams Grand Prix Engineering Limited

A equipe Williams da Fórmula 1 foi vendida para a empresa de investimento privado Dorilton Capital, sediada nos Estados Unidos, anunciou a escuderia nesta sexta-feira (21). O acordo marca o fim de uma era para a família dona do grupo.

A Williams seguirá nas corridas com o mesmo nome e permanecerá com sua sede na Inglaterra, segundo um comunicado da equipe.

O acordo pela Williams Racing foi apoiado de forma unânime pelo conselho, incluindo o cofundador Frank Williams, de 78 anos. “Este pode ser o fim de uma era para a Williams como família dona do time, mas sabemos que ela está em boas mãos”, disse a vice-diretora Claire Williams, filha de Frank. “A venda garante a sobrevivência da equipe, mas mais importante, vai levar a um caminho de sucesso.”

A Williams, cujos atuais pilotos são o britânico George Russell e o canadense Nicholas Latifi, anunciou em maio que estava considerando vender a empresa como parte de uma revisão estratégica.

Assista e leia também:
Fórmula 1 renova contrato com todas as 10 equipes até 2025
Lewis Hamilton critica F1 por ‘falta de liderança’ no combate ao racismo
Guia da F1 2020: Mercedes e Hamilton são favoritos em temporada encurtada

O grupo não forneceu detalhes financeiros sobre o acordo, e a porta-voz não falou sobre a futura estrutura de administração do time.

Em seu site oficial, a Dorilton disse, no entanto, que faz parcerias com empresas “que são lideradas por equipes de administração fortes e têm uma história de sucesso e cultura”. “Acreditamos firmemente que nossas companhias vão continuar com os elementos que as fizeram bem-sucedidas”, afirmou.

A Williams será a segunda escuderia de propriedade de um grupo dos EUA, depois da Haas, em um esporte que vê a América do Norte como uma área chave de crescimento sob os detentores de direitos comerciais Liberty Media, que tem sede no Colorado.

3º equipe mais bem-sucedida da F1

O grupo é o terceiro mais velho e mais bem-sucedido da história do esporte, com 114 vitórias e 16 títulos. Contudo, não vence uma corrida desde 2012, e o último campeonato vencido foi com o canadense Jacques Villeneuve, em 1997.

Fundada em 1977 como Williams Grand Prix Engineering, a equipe estava no auge nos anos 1980 e 1990, com os campeões Villeneuve, Alan Jones, Keke Rosberg, Nigel Mansell, Alain Prost, Damon Hill e o brasileiro Nelson Piquet.

A escuderia terminou em último lugar em 2019, mesmo utilizando os mesmos motores da campeã Mercedes, e segue em último também neste ano, já que está há seis corridas sem pontuar.

As finanças do grupo sofreram em consequência da performance ruim nas pistas e da pandemia da Covid-19, que levou a uma onda de cancelamento de corridas e a uma temporada que começou apenas em julho.

Mas o futuro agora parece melhor, com todas as dez equipes assinaram um novo acordo que promete uma parcela mais justa das receitas e uma disputa mais nivelada entre as grandes equipes e as menores.

(Com informações da Reuters)