São Paulo anuncia renovação com F1 para prova em Interlagos até 2025

Nome da etapa também tem alteração, passando de 'Grande Prêmio do Brasil' para 'Grande Prêmio de São Paulo'; corrida está marcada para 14 de novembro de 2021

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
12 de novembro de 2020 às 13:00 | Atualizado 12 de novembro de 2020 às 14:50

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quinta-feira (12) que a organização da Fórmula 1 renovou o contrato com a prefeitura de São Paulo para a realização de provas da categoria no autódromo de Interlagos até 2025.

Segundo Doria, a prova também mudará de nome. No lugar de GP do Brasil, será GP de São Paulo. “Em novembro de 2021, passa a se chamar Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1. É a imagem e o nome de São Paulo que vão para o mundo”, afirmou.

Neste ano, a realização da prova prevista para este domingo (15) foi cancelada em razão da pandemia do novo coronavírus.

Havia também a possibilidade de a corrida ser transferida para o Rio de Janeiro, em um autódromo a ser construído em Deodoro pelo consórcio Rio Motorsports. Em outubro, o CEO da F1 havia informado sobre acordo com a empresa para a realização do GP do Brasil na capital do Rio de Janeiro (leia mais abaixo).

Assista e leia também:
Calendário provisório da F1 para 2021 tem retorno do GP do Brasil, em Interlagos
Autódromo de Interlagos completa 80 anos e ganha mural de Ayrton Senna

"O autódromo internacional de Interlagos foi confirmado como sede do Grande Prêmio de F1 nos próximos cinco anos", disse o governador, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

"O contrato será assinado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) e a Liberty Media, detentora dos direitos da F1. É uma grande vitória para a cidade de São Paulo, para o estado de São Paulo e para o Brasil", completou.

O governador disse ainda que a continuidade da corrida no autódromo de Interlagos foi uma "vitória do bom senso e do equilíbrio".

"Os entendimentos que mantivemos desde o ano passado com a Liberty Media foram feitos com base em instrumentos corretos, na existência de um autódromo que é aprovado pelos pilotos, pelas equipes e que, há mais de 30 anos, é a sede do Grande Prêmio de F1. Não fizemos especulações, não fizemos projeções artificiais, não prometemos investimentos que não poderiam ser feitos e, agora, a Liberty Media anunciou oficialmente que São Paulo continuará como sede do GP Brasil", concluiu.

Corrida de F1 no Autódromo de Interlagos, em 2019
Foto: Ricardo Moraes - 17.nov.2019/Reuters

Ao comentar a renovação do contrato, Covas afirmou que o contrato está sendo finalizado entre o setor jurídico da prefeitura e da Liberty Media e deve ser assinado entre o final de novembro e o começo de dezembro.

"No ano que vem, no dia 14 de novembro de 2021, será realizado o GP São Paulo em Interlagos. É um contrato de cinco anos, valendo até 2025, podendo ser prorrogado por mais cinco anos – podendo, portanto, ir até 2030", disse o prefeito.

Ele afirmou ainda que a negociação com a organizadora da F1 inclui também pacotes de promoção turística da cidade e do estado com vídeos de transmissão global e placas de publicidade.

“Em um ano em que a gente fala da necessidade de emprego, renda e oportunidades, é uma boa notícia a manutenção do GP”, afirmou.

“No ano passado, a corrida trouxe para a cidade um impacto de R$ 670 milhões. Só de tributos que foram recolhidos por conta desse impacto, estamos falando de R$ 111 milhões. Só a corrida, de forma direta, criou 8,5 mil empregos em 2019.”

Assista e leia também:
Instituto bloqueia licença ambiental de autódromo no Rio de Janeiro
STF autoriza continuidade do projeto de construção do autódromo do Rio

Rio Motorsports abre mão de direitos de transmissão

Em nota enviada à CNN, a Rio Motorsports afirmou que abriu mão dos direitos de transmissão da Fórmula 1 no Brasil.

“A decisão foi tomada devido às incertezas com o calendário para a temporada 2021, provocadas pela segunda onda de contágio por Covid-19 na Europa”, diz o texto.

“Diante do cenário, somado ao fato da possibilidade dessa nova onda se expandir para outros continentes, a Rio Motorsports reavaliou este investimento e abriu espaço para que a Fórmula 1 possa negociar diretamente com as empresas de televisão no Brasil.”

A empresa informou, no entanto, que segue com os trâmites para o processo de implantação do autódromo em Deodoro, no Rio de Janeiro.

(Com informações de Vital Neto, da CNN, em São Paulo)