Bahia afasta meia Ramírez para que seja apurada acusação de racismo

Bahia diz que Ramírez nega a acusação de racismo feita por Gerson, mas considerou que a voz da vítima deve ser "preponderante em casos desta natureza"

Por Diego Freire, da CNN, em São Paulo
21 de dezembro de 2020 às 03:25 | Atualizado 21 de dezembro de 2020 às 07:31

 

Na madrugada desta segunda-feira (21), o Esporte Clube Bahia anunciou que afastou das atividades do clube o meia colombiano Juan Pablo "Índio" Ramírez, em período ainda indeterminado no qual será apuarada acusação de racismo contra o atleta.

Após vitória do Flamengo por 4 a 3 contra o Bahia neste domingo, o meia Gerson, do Flamengo, acusou Ramírez de ter cometido injúria racial contra ele. Em entrevista concedida após o jogo, o flamenguista afirmou que, durante uma discussão, Ramírez disse a ele: "cala a boca, negro".

Leia também:
Bahia demite Mano Menezes; clube vai investigar acusação de racismo por Ramírez

Juan Pablo "Índio" Ramírez
Foto: Instagram/ Reprodução


O Bahia frisou que Ramírez nega veementemente a acusação, mas afirmou que "o clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza".

Ainda depois o jogo, Gerson ainda criticou a postura do treinador Mano Menezes, demitido do Bahia durante a noite - sem que o clube detalhasse se o desligamento teve ligação com o episódio.

"O Mano falou: 'ah, agora você é vítima, né? O Daniel Alves te atropelou e você não falou nada'. Claro, porque teve respeito entre eu e ele. Eu nunca falei de treinador, mas o Mano tem que saber respeitar", disse Gerson.

Veja, abaixo, a nota divulgada pelo Bahia sobre o afastamento de Ramírez:

O Esporte Clube Bahia vem a público se manifestar sobre a denúncia de racismo feita pelo atleta Gerson, do Flamengo, ocorrida na noite deste domingo (20).

O atleta Indio Ramírez nega veementemente a acusação e a ele está sendo dada a oportunidade de se defender de algo tão grave.

O clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza.

Assim, decidiu afastar imediatamente o jogador das atividades da equipe até a conclusão da apuração.

O presidente Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade.