Após reportagem da CNN, presidente de federação de natação desiste de reeleição

CNN mostrou com exclusividade o relato de oito ex-nadadoras que acusam o dirigente da natação do Amazonas de abuso sexual

José Brito Da CNN, em São Paulo
22 de dezembro de 2020 às 15:59


 A Confederação de Desportos Aquáticos (CBDA) recebeu, nesta quarta-feira (22), uma nota oficial do presidente da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos (Fada), Vitor Hugo Lopes Façanha, comunicando a sua diretoria sobre a desistência à reeleição para o quadriênio 2021/2024 à frente da instituição.

“Botinho”, como é conhecido, era o único candidato na disputa, que aconteceria no dia 29 de dezembro. Ele abandona a disputa após a CNN mostrar com exclusividade o relato de oito ex-nadadoras que o acusam de abuso sexual, entre os anos de 2008 e 2017, quando tinham entre 11 e 17 anos de idade. O ex-técnico nega as acusações. 

A CBDA explica que as federações regionais atuam de forma independente na forma da constituição da Lei 9.615, a Lei Pelé, e que o impedimento legal para participação se dá apenas após o trânsito em julgado da sentença condenatória -- ou seja, quando não cabem mais recursos.

O órgão esclarece ainda que, mesmo antes do comunicado divulgado pela Fada, a entidade já analisava propor uma recomendação de não participação na eleição, pois entende que tais fatos devem ser apurados com "extremo cuidado". O Conselho de Ética da CBDA tem reunião hoje sobre o assunto. 

Presidente da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos (Fada), Vitor Hugo Lopes Façanha, conhecido como "Botinho”
Foto: Reprodução/CNN Brasil


 

Um novo edital para inscrição de novas chapas para as eleições da federação será realizado com data ainda a ser definida. A CNN conversou com quatro das oito jovens que dizem terem sido abusadas por Vitor Hugo. Elas se mostraram aliviadas e esperançosas com a notícia. “Saber que ele pode ficar distante de outras atletas, fez me sentir melhor”, disse uma delas. 

Leia também:

A Covid-19 atrapalhou, mas 2020 foi inesquecível para o esporte; relembre

Confederação e nadadoras criam canais para envio de denúncias de abuso

Procurado pela reportagem, Façanha ainda não respondeu sobre o motivo da desistência da candidatura.

Ex-técnico será investigado

Nesta segunda-feira (21), o Ministério Público do Amazonas informou que será instaurada uma notícia de fato -- uma espécie de procedimento administrativo -- para apurar os relatos das ex-atletas de Botinho.  O pedido de investigação foi encaminhado à Coordenação do órgão, na capital manaura, e será distribuído a uma das Promotorias de Justiça especializadas.

Segundo o promotor de justiça Rodrigo Leão, a investigação deve correr sob segredo de justiça por se tratarem de denúncias muito graves que envolvem vítimas em situação de vulnerabilidade, tanto pela faixa etária quanto pela condição socioeconômica.