Morte de Kobe Bryant: piloto de helicóptero ficou desorientado com mau tempo

Astro do basquete e outras oito pessoas morreram em acidente aéreo em Calabasas, na Califórnia, em 2020

Pete Muntean e Madeline Holcombe, da CNN
09 de fevereiro de 2021 às 14:01 | Atualizado 09 de fevereiro de 2021 às 15:19


Investigadores do acidente aéreo que causou a morte da lenda do basquete Kobe Bryant em janeiro de 2020 apontaram, nesta terça-feira (9), que o piloto teria ultrapassado limites das regras de segurança dos Estados Unidos para um voo com mau tempo e a queda do helicóptero foi provocada por provável desorientação espacial.

Kobe Bryant e outras oito pessoas, incluindo sua filha, Gianna, morreram no acidente ocorrido em 26 de janeiro de 2020, em Calabasas, na Califórnia.

 

Kobe Bryant e a filha Gianna, mortos em acidente de helicóptero em janeiro de 20
Kobe Bryant e a filha Gianna, mortos em acidente de helicóptero em janeiro de 2020
Foto: Instagram/ Reprodução

Os dados da investigação foram revelados pelo Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos Estados Unidos (NTSB).

O NTSB já havia adiantado que o piloto Ara Zobayan disse aos controladores de tráfego aéreo que sua aeronave estava se elevando de nuvens pesadas, quando na verdade estava abaixando, imediatamente antes de se chocar com a encosta de uma colina perto da cidade de Calabasas.

Bryant foi cinco vezes campeão da NBA e três vezes MVP das Finais da NBA durante seus 20 anos de carreira com o Los Angeles Lakers.

Destroços do helicóptero em acidente de Kobe Bryant
Em 26 de janeiro de 2020, acidente de helicóptero em Calabasas, na Califórnia, tirou a vida de Kobe Bryant e outras oito pessoas
Foto: NTSB 

(Com informações da Reuters)