Governo britânico condena protesto violento de torcedores do Manchester United

Dezenas de torcedores invadiram o estádio Old Trafford em manifestação contra proprietários do clube no domingo, forçando o adiamento do jogo contra o Liverpool

Reuters
03 de maio de 2021 às 09:55 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 09:57
Torcedores do Manchester United invadem estádio em protesto contra proprietários
Torcedores do Manchester United invadiram gramado do estádio em protesto contra proprietários do clube
Foto: Reuters

A violência durante os protestos de torcedores do Manchester United no domingo (2), que levaram ao adiamento do jogo da Premier League contra o Liverpool, foi condenada nesta segunda-feira (3) por autoridades do Reino Unido.

Os torcedores do United, em protesto contra os proprietários norte-americanos do clube, a família Glazer, invadiram o estádio, que estava fechado para o público devido às restrições da pandemia do novo coronavírus.

Um sinalizador foi lançado na área das emissoras enquanto os fãs corriam para o campo. Ao mesmo tempo, manifestantes entravam em confronto com a polícia do lado de fora do estádio.

A Polícia da Grande Manchester disse que dois policiais ficaram feridos, e um deles precisou de tratamento hospitalar depois de ser atacado com uma garrafa e sofrer um corte no rosto.

"As paixões estão em alta no futebol, mas existem maneiras de protestar e fazer sua voz ser ouvida sem ferir ou colocar os outros em perigo", disse Nigel Huddleston, Ministro do Turismo e Esportes do país.

"Compreendemos as frustrações, mas a violência de uma pequena minoria de fãs em Old Trafford ontem [domingo, 2] foi inaceitável", disse ele.

Os protestos dos fãs contra os Glazers, que acontecem desde que eles compraram o clube em 2005, voltaram a ganhar força com o envolvimento do United na tentativa de criar uma Superliga da Europa de futebol.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que se opôs publicamente aos planos da Superliga, disse entender os motivos por trás dos protestos.

"Não acho que seja uma boa ideia ter um comportamento perturbador, manifestações desse tipo, mas, por outro lado, eu entendo a força do sentimento das pessoas", afirmou Johnson a repórteres durante uma visita de campanha no norte da Inglaterra.

Dois policiais ficaram feridos em confronto com torcedores do Manchester United
Dois policiais ficaram feridos em confronto com torcedores do Manchester United
Foto: Anthony Devlin - 2.mai.2021/Offside via Getty Images

"Acho que foi bom termos conseguido fazer coisas que deixaram bem claro que a Superliga não vai ser apreciada pelas pessoas deste país."

O prefeito da Grande Manchester, Andy Burnham, expressou apoio aos objetivos dos manifestantes, mas criticou a violência.

"Compreendo perfeitamente as preocupações de longa data dos torcedores do Manchester United relativamente à propriedade e ao financiamento do seu clube e ao funcionamento do futebol em geral", afirmou.

“É importante deixar claro que a maioria dos torcedores fez seu protesto pacificamente... entretanto, não há desculpa para as ações de uma minoria que feriu policiais e colocou em risco a segurança de outros”, acrescentou.

O ministro britânico das Relações Exteriores, James Cleverly, disse ser necessário entender o estado de espírito dos torcedores de futebol.

Torcedor segura cartaz os Glazer, proprietários do Manchester United desde 2005
Torcedor segura cartaz contra a família Glazer, proprietária do Manchester United desde 2005
Foto: Reuters

"Não podemos tolerar as imagens que vimos da invasão do estádio", disse Cleverly à Sky News. "Mas precisamos entender as frustrações que os torcedores têm não apenas com o Manchester United, mas com vários clubes."

O vice-chefe da Polícia da Grande Manchester, Russ Jackson, disse que o comportamento dos fãs foi "imprudente e perigoso". 

“Abrimos uma investigação e trabalharemos com parceiros para garantir o estabelecimento de todas as circunstâncias que cercam os eventos e processar os responsáveis”, disse ele.

Nenhuma decisão foi tomada ainda sobre o reagendamento da partida ou sobre quaisquer punições por causa dos eventos de domingo.