CEO japonês diz que decisão de realizar Olimpíada é 'missão suicida'

No comando da principal empresa de comércio eletrônico do Japão, a Rakuten, Hiroshi Mikitani diz que tentou convencer sem sucesso o governo a cancelar Jogos

Selina Wang, da CNN, em Tóquio
14 de maio de 2021 às 10:51 | Atualizado 14 de maio de 2021 às 10:54
Olimpíada de Tóquio seria realizada de 24 de julho a 9 de agosto
Realização da Olimpíada de Tóquio gera polêmica
Foto: Denis Balibouse - 24.mar.2020/ Reuters

O CEO da principal empresa de comércio eletrônico do Japão, Rakuten, disse que hospedar a Olimpíada neste verão seria uma "missão suicida" e deu ao governo japonês uma nota "dois em dez" por lidar com a pandemia.

Em entrevista exclusiva à CNN na sexta-feira (14), Hiroshi Mikitani disse que tentou convencer o governo a cancelar os Jogos, mas não teve sucesso até agora. “É perigoso sediar um grande evento internacional de todo o mundo. Portanto, o risco é muito grande”, disse Mikitani.

“A vantagem não é tão grande e vemos que muitos países ainda estão lutando tanto, incluindo Índia e Brasil. E ainda não é hora de comemorar ”, acrescentou.

Quando questionado se acreditava que a Olimpíada ainda poderia ser cancelada, ele disse que "tudo é possível agora" e que achava que seria "difícil" conseguir medidas anti-Covid-19 seguras o suficiente nos Jogos. 

Mikitani também lamentou a velocidade lenta da campanha de vacinação no Japão, dizendo que “a única maneira de sair dessa bagunça é a vacinação e temos que ser mais rápidos”, mas reconheceu que o governo agora está “fazendo um esforço” e “tentando acelerar”.

(Texto traduzido. Leia o original aqui.)