Perto da Olimpíada de Tóquio, Japão só vacinou 4,1% de sua população

País aprovou mais duas vacinas contra a Covid-19 para acelerar a campanha de vacinação

Chang-Ran Kim, da Reuters
21 de maio de 2021 às 09:25
Logo da Olimpíada Tóquio 2020
Logo da Olimpíada Tóquio
Foto: ´Issei Kato/Reuters

O Japão vacinou apenas 4,1% de sua população, de acordo com levantamento da Agência Reuters, a taxa mais lenta entre os maiores e ricos países do mundo.

Em contraste com algumas outras nações do Grupo dos Sete (G7), dos países mais poderosos do mundo, que estão começando a encerrar as medidas de bloqueio para combater a pandemia, grande parte do Japão permanece sob restrições de emergência em meio a uma quarta onda de infecções.

Na sexta-feira, o governo acrescentou Okinawa à sua lista de nove prefeituras submetidas às mais rígidas medidas de emergência. Eles incluem Tóquio, onde os Jogos Olímpicos devem começar em cerca de dois meses.

O país aprovou mais duas vacinas contra o coronavírus para acelerar uma campanha de inoculação demorada. As vacinas recém-aprovadas, da Moderna Inc e AstraZeneca PLC, se juntarão a uma co-desenvolvida pela Pfizer Inc e BioNTech SE em uma campanha de vacinação que começou em meados de fevereiro.

A vacina da AstraZeneca não será usada por enquanto, disse a empresa. Anteriormente, a mídia disse que o governo iria adiar seu uso por causa de preocupações com coágulos sanguíneos e sangramento em alguns deles.

"Faremos o máximo para trabalhar para garantir que todos os idosos que buscam vacinas possam receber suas duas vacinas até o final de julho", disse a repórteres o ministro da Economia, Yasutoshi Nishimura, que está liderando o esforço de resposta ao coronavírus.

Temores sobre a Olimpíada

O temor de que a Olimpíada se transformasse em um evento super-disseminador persistiu, garantindo a oposição da maioria do público à realização dos Jogos neste ano.

Uma pesquisa corporativa da Reuters publicada na sexta-feira mostrou que quase 70% das empresas japonesas também querem que os Jogos sejam cancelados ou adiados.

O estado de emergência para Okinawa duraria cerca de um mês, de domingo a 20 de junho, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga, além do ponto final de 31 de maio dos outros nove.

É a terceira semana consecutiva que o Japão expande o estado de emergência. Com cerca de 695.000 infecções e 12.000 mortes, o Japão está encontrando seu sistema médico cada vez mais tenso por um aumento nas variantes infecciosas.

Com a Olimpíada começando em 23 de julho, Tóquio está sob pressão especial para reduzir as infecções e a pressão sobre o sistema médico e sair da emergência no prazo previsto para este mês.

Depois de uma reunião de 30 minutos com Suga na sexta-feira, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, disse que buscou suprimentos de vacina para a capital, que começa a vacinação em massa na próxima semana.

Os dois concordaram em trabalhar para uma Olimpíada "segura" neste verão, disseram mais tarde a repórteres.

(Reportagem de Chang-Ran Kim; reportagem adicional de Rocky Swift, Ritsuko Ando e Ju-Min Park; Edição de Christopher Cushing e Clarence Fernandez)