Um a cada 15 jogadores testou positivo para Covid-19 na Copa América

Já são 140 infectados na competição, incluindo comissão técnica e equipes de apoio

Pedro Duran e Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
22 de junho de 2021 às 11:03 | Atualizado 22 de junho de 2021 às 12:13

Um levantamento da CNN com base em dados da Conmebol e das delegações estrangeiras aponta que um a cada 15 jogadores testou positivo para o coronavírus em menos de duas semanas de Copa América

A competição que estreou oficialmente no dia 13 de junho com a partida entre Brasil e Venezuela, já teve 140 infectados. A lista inclui, além de 17 atletas, membros de delegações técnicas, funcionários de hotéis que abrigaram os jogadores e funcionários da equipe de apoio, como seguranças e faxineiros. 

Cada delegação tem direito a 65 membros. Ao todo, dez países participam da competição. A média de jogadores convocados para o torneio é de 26 por delegação, com 268 jogadores na lista oficial. Entre os 17 que testaram positivo estão atletas da Venezuela, Bolívia, Colômbia, Peru e Chile. Ou seja, metade das dez seleções que disputam o torneio já tiveram casos registrados.

Em nota enviada à CNN, a Bolívia informou que três jogadores que foram infectados já cumpriram o isolamento de dez dias e poderão voltar a se juntar com o grupo.

A Conmebol disse, em comunicado à imprensa enviado nesta segunda-feira (21) que a "incidência do coronavírus na competição está baixando em comparação com o balanço anterior". 

Eles afirmam que foram realizados 15.235 testes desde o começo da competição e que "a maioria é de operários e empregados terceirizados". Informam ainda que a "incidência" de coronavírus é de 0,9%, mas não mencionam, no comunicado, o total de pessoas testadas, uma vez que faz parte do protocolo a repetição dos exames PCR ao longo da competição. 

"A maioria dos afetados são trabalhadores, membros de delegações e pessoal terceirizado. Em comparação com o relatório anterior, a incidência do coronavírus diminuiu, o que é um sinal claro de que as medidas preventivas e os protocolos de saúde estão funcionando conforme o esperado", diz a nota.

A incidência de coronavírus entre jogadores fez a Conmebol mudar o protocolo antes mesmo do primeiro jogo. A regra inicial era no máximo cinco substituições de atletas ao longo de toda a competição. Uma reunião entre os 10 presidentes das federações nacionais filiadas à Conmebol, no entanto, mudou a perspectiva, eliminando o limite de trocas de atletas. 

A decisão do Conselho da Conmebol fez com que a confirmação de vários casos positivos na delegação da Venezuela antes mesmo da partida contra o Brasil não impedisse as substituições de todos os infectados.

Os testes positivos de PCR foram enviados para laboratórios especializados no sequenciamento genético das amostras. A intenção é identificar quais as variantes do coronavírus encontradas entre as pessoas que tiveram o diagnóstico de Covid-19. 

A possibilidade de circulação de mutações que ainda não tinham se espalhado no Brasil, como a cepa originária da Índia, era um dos sinais de alertas apontados por especialistas na realização da Copa América no país. Os resultados das primeiras amostras devem sair nos próximos dias.