Retomada do futebol em SP gerou 25 surtos de Covid-19, aponta estudo da USP

Pesquisa feita pela Faculdade de Medicina da USP registrou 662 casos positivos de Covid-19, sendo 501 em atletas

Elizabeth Matravolgyi, da CNN, em São Paulo
14 de julho de 2021 às 19:56 | Atualizado 14 de julho de 2021 às 20:02
Corinthians e Palmeiras se enfrentaram nesta quarta-feira (3) em São Paulo
Estudo analisou dados de testes feitos pela Federação Paulista de Futebol
Foto: André Anselmo/Futura Press/Estadão Conteúdo

Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) realizado entre o mês de julho e dezembro de 2020 mostra que a retomada do futebol no estado de São Paulo registrou uma taxa de infecção de Covid-19 de 12% entre atletas e 7% entre a equipe de apoio, além de 25 surtos, com cinco ou mais casos registrados numa mesma equipe em duas semanas.

Durante o período do estudo, os pesquisadores analisaram mais de 29 mil testes, que foram realizados pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Os resultados foram publicados na revista British Journal of Sports Medicine no dia 5 de julho. 

Segundo o artigo, divulgado nesta quarta-feira (14) para o público, os dados atestam o alto risco da abertura dos jogos durante a pandemia e apontam que os resultados obtidos entre os jogadores são semelhantes aos números entre profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19.

Os 29 mil testes de RT-PCR, que indica se o vírus está ativo no organismo, foram realizados em um grupo de 6.500 pessoas, que englobam atletas e a equipe de apoio. Dos 662 testes positivos, 501 foram em jogadores.

Ainda segundo o estudo, uma morte foi registrada e os casos mais graves foram detectados entre o pessoal que presta apoio nos jogos. 

O estudo diz ainda que países que não controlaram a pandemia aumentam o risco ao retomar os campeonatos de futebol.