Atleta que desapareceu deixou bilhete dizendo que queria trabalhar no Japão

Julius Ssekitoleko, um levantador de peso de 20 anos da Uganda, não conseguiu se classificar para os Jogos

Por Rob Picheta e Junko Ogura, da CNN
17 de julho de 2021 às 08:31 | Atualizado 17 de julho de 2021 às 09:49
julius ssekitoleko
Foto: Dean Mouhtaropoulos / Equipe / Getty Images

Um atleta da Uganda que desapareceu em Tóquio, às vésperas dos Jogos Olímpicos, deixou um bilhete dizendo que sua vida no país africano era muito difícil e que ele queria trabalhar no Japão, disseram as autoridades locais.

Julius Ssekitoleko, um levantador de peso de 20 anos, não conseguiu se classificar para os Jogos após sua chegada ao Japão e deveria voar de volta a Uganda em 20 de julho.

Mas ele foi visto pela última vez em uma estação perto do hotel de sua delegação em Izumisano às 6h30 de sexta-feira. O atleta comprou uma passagem do trem-bala Shinkansen para Nagoya, a cerca de 200 quilômetros de distância, disse um funcionário do Izumisano à CNN.

Na nota, Ssekitoleko disse que não queria regressar ao Uganda e pediu aos membros da sua delegação que devolvessem os seus pertences à sua esposa, a oficial Izumisano Aadded.

Autoridades da cidade temeram que ele estivesse desaparecido por volta do meio-dia de sexta-feira, quando notaram que uma amostra de teste do Covid-19 não havia sido enviada por Ssekitoleko, disse o funcionário municipal Osamu Mizoguchi.

A polícia local está procurando por ele sem sucesso, acrescentou Mizoguchi.

Ssekitoleko competiu na final do levantamento de peso masculino de 56kg nos Jogos da Commonwealth de 2018, com apenas 17 anos. Ele terminou em 10º nessa competição.

Dois atletas de Uganda e outros de Ruanda e Camarões desapareceram anteriormente durante esses jogos, que foram realizados em Gold Coast, Austrália, informou a PA Media na época.

E dois jogadores de rúgbi de 7 da Uganda, que desapareceram depois de competir nos Jogos da Commonwealth de 2014 em Glasgow, Escócia, foram posteriormente revelados como tendo pedido asilo e estavam jogando por um time de rúgbi em Cardiff, informou a BBC em 2015.

A delegação de Uganda foi uma das primeiras equipes a chegar ao Japão para a atrasada Olimpíada de Tóquio. A equipe começou a treinar na cidade japonesa ocidental em 7 de julho, após completar uma quarentena obrigatória.

Em sua chegada no final de junho, um membro da delegação foi considerado positivo para a variante Delta.

A cerimônia de abertura dos Jogos está marcada para sexta-feira, mas os eventos na cidade-sede não terão espectadores com Tóquio em estado de emergência da Covid-19.