PM autua jogadores do Boca e libera delegação para voltar à Argentina

Delegação argentina foi levada para a delegacia após quebra-quebra no acesso aos vestiários depois de perder a disputa por pênaltis para o Galo

Camila Neumam, da CNN, em São Paulo
21 de julho de 2021 às 13:42
Oito integrantes da delegação do Boca Juniors  vão responder inquérito policial
Oito integrantes da delegação do Boca Juniors vão responder inquérito policial após quebra-quebra no Mineirão
Foto: Reprodução/CNN Brasil (21.jul.2021)

A Polícia Militar de Minas Gerais liberou a delegação do Boca Juniors para voltar à Argentina, após os jogadores terem se envolvido em uma confusão no final de uma partida da Libertadores da América, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG), e terem sido encaminhados para prestar depoimento em uma delegacia.

Segundo a PM mineira, seis jogadores do Boca foram ouvidos. Dois deles foram autuados em flagrante por dano qualificado e outros quatro assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência por lesão corporal e desacato. Os jogadores foram liberados depois de prestrarem depoimento.

A rodada de terça-feira (20) da Libertadores foi marcada pela confusão entre jogadores do Boca Juniors e seguranças do Atlético-MG no Mineirão.

Toda a delegação do time argentino foi levada para a delegacia após quebra-quebra no acesso aos vestiários. A delegação da equipe teve que prestar depoimento na delegacia e perdeu o seu voo para a Argentina, marcado para a madrugada desta quarta (21). 

Em campo, Atlético-MG e Boca empataram por zero a zero, mesmo placar do jogo de ida, em Buenos Aires.

A vaga, então, foi decidida nos pênaltis. O goleiro Éverson pegou duas cobranças e ainda converteu o pênalti que garantiu a classificação brasileira, que agora espera a decisão entre River Plate e Argentinos Juniors para descobrir o adversário da próxima fase. 

Na saída de campo, jogadores do Boca entraram em confronto com seguranças do Atlético e do estádio. A Polícia Militar precisou intervir com bombas de gás lacrimogêneo.

Os oito integrantes que foram identificados vão responder por lesão corporal, agressão e depredação de patrimônio público.