Atlético-MG empata com o Bragantino e tropeça pela 4ª vez seguida no Brasileirão

Nacho marcou pelo 3º jogo consecutivo, mas não foi suficiente para dar vitória ao time

Argentino Nacho Fernandez foi o autor do único gol do Atlético Mineiro no empate contra o Red Bull Bragantino
Argentino Nacho Fernandez foi o autor do único gol do Atlético Mineiro no empate contra o Red Bull Bragantino Pedro Souza/Atlético-MG

Leandro Silveiracolaboração para a CNN

Ouvir notícia

O Atlético-MG completou a quarta partida consecutiva sem vitória no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira (11), empatou com o Red Bull Bragantino por 1 a 1, no Nabi Abi Chedid, em partida antecipada da sétima rodada. Ytalo e Nacho Fernández marcaram os gols do jogo.

Após um bom início de defesa do título do Brasileirão, com triunfos nos dois primeiros compromissos, diante de Internacional e Athletico-PR, o Atlético-MG parou de vencer. Somou três empates, com Coritiba, Goiás e, agora, Bragantino, e uma derrota, para o América-MG. A sequência ruim provoca um sinal amarelo para o time. Afinal, em 2021, quando foi campeão, ficou, no máximo, três jogos sem ganhar no Nacional.

A campanha irregular deixa o Atlético-MG com 9 pontos, em 6º lugar e a 3 do líder Corinthians, que tem um jogo a menos. O Bragantino também está com 9, na 5ª posição, mas à frente por causa do saldo de gols – 4 a 2. Mas o time também não conseguiu voltar a vencer, pois no fim de semana havia perdido para o Corinthians, em casa.

A igualdade desta quarta confirmou, ainda, uma impressionante sina na história do confronto. Essa foi a oitava vez em que os times se enfrentaram em Bragança Paulista. E em todas elas os times empataram.

No lado do Atlético-MG, o destaque acabou sendo Nacho. O argentino, ao marcar um belo gol de falta, foi às redes pela terceira partida consecutiva. Já no Bragantino, o confronto marcou o retorno aos gramados do volante Raul. O meio-campista não atuava desde agosto de 2021, quando sofreu lesão ligamentar no joelho direito, sendo acionado durante o segundo tempo do confronto desta quarta.

O jogo

Para o duelo no interior paulista, Antonio Mohamed pôde contar com os retornos de Nathan Silva e Arana, livres de suspensão, mas precisou mudar o ataque. Sem Hulk, que cumpriu gancho, escalou Eduardo Sasha, que teve a companhia, no ataque, de Keno, titular pela primeira vez desde a rodada inicial do Brasileirão, depois sendo atrapalhado por lesões. Assim, Ademir foi para o banco.

E o início atleticano no interior paulista foi confuso. Afinal, embora tenha finalizado com perigo aos 10 minutos, em cabeceio de Sasha, apresentou problemas defensivos. Com dificuldades na saída de bola, realizada sob pressão do Bragantino, entregou a posse para o adversário, graças a um carrinho de Sasha, numa jogada em que seria marcado arremesso lateral. Arthur aproveitou, cruzou para Ytalo, que se antecipou a Nathan Silva e desviou para as redes, marcando logo aos 12 minutos.

A chance de reação para o Atlético pareceu surgir aos 19, quando a arbitragem marcou pênalti, após Léo Ortiz tirar com o braço, em cima da linha, uma finalização de Arana. Mas foram longos 6 minutos de revisão do lance, com o árbitro Braulio da Silva Machado revendo a jogada no vídeo e anulando a sua marcação inicial, incluindo a expulsão do zagueiro do Bragantino, e assinalando impedimento

A decisão da arbitragem pareceu desconcentrar o Galo, que sofria com a intensidade do adversário e esteve muito próximo de ser vazado duas vezes, em chute colocado de Helinho, aos 28, e em carrinho de Sorriso, na pequena, área, aos 30, mas as duas finalizações não foram na direção do gol.

Assim, o Atlético-MG só foi reagir no fim do primeiro tempo. Ainda que sem inspiração, lutou, esteve mais presente no campo de ataque e teve duas boas oportunidades em disparos que tiveram origem em cobranças de escanteio. Em ambas, com Allan e Guga, aos 38 e aos 50 minutos, Cleiton fez boas defesas.

O primeiro lance da etapa final pareceu repetir a toada do término da inicial, com o goleiro do Bragantino parando outro disparo de longe de Allan, mas o Atlético-MG, embora mais ofensivo, não conseguia penetrar na área adversária. E acabou sendo com outro chute de longe que empatou o jogo. Aos 20 minutos, em cobrança de falta ensaiada, Nacho tocou no canto esquerdo. Cleiton, estático, só viu a bola entrar em sua meta.

O gol, claro, empolgou o Galo, que buscou acelerar o ritmo do jogo, mas continuou sem apresentar grande volume ofensivo. E as trocas realizadas pelos treinadores também pareceram esfriar o duelo. No fim, aos 42 minutos, Sasha poderia ter dado a vitória ao time mineiro, mas a bola, em seu cabeceio, passou por cima da meta do Bragantino. Com isso, o duelo terminou empatado em 1 a 1.

Agenda

No próximo sábado (14), os times voltam a campo pelo Brasileirão, em jogos válidos pela sexta rodada. O Bragantino visitará o Palmeiras, às 16h30, no Allianz Parque. Já o Atlético-MG vai receber o Atlético-GO, às 19h, no Independência.

Mais Recentes da CNN