CBF voltará a endurecer protocolos em jogos de futebol por variante Ômicron

Retorno da exigência de testes de RT-PCR para acesso aos estádios é uma das medidas

No protocolo vigente até então, os torcedores necessitavam mostrar apenas que estavam totalmente imunizados contra a Covid-19
No protocolo vigente até então, os torcedores necessitavam mostrar apenas que estavam totalmente imunizados contra a Covid-19 GILSON JUNIO/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Lucas Janoneda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Em função da explosão de casos da variante Ômicron do coronavírus, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai reformular os protocolos sanitários para os jogos em 2022.

A ideia é intensificar o controle de acesso dos torcedores aos estádios para evitar que o número de contaminações com a nova cepa no país aumente ainda mais. O anúncio oficial das novas medidas deve acontecer somente nas próximas semanas, no entanto, a CNN conseguiu adiantar algumas adaptações estabelecidas pelo novo protocolo.

A primeira novidade do regulamento é o retorno da exigência da realização de testes RT-PCR para o público que queira assistir aos jogos nos estádios. Nos últimos meses de 2021, sem a presença da variante Ômicron, o torcedor precisou apenas mostrar que estava totalmente imunizado contra a Covid-19 para acompanhar as partidas. Neste ano, além do comprovante que seguirá obrigatório, a testagem volta a ser obrigatória.

À CNN, o presidente da Comissão Nacional de Médicos de Futebol (CNMF) e membro do comitê da CBF, Jorge Pagura, destacou a importância de um protocolo mais exigente em um cenário de incertezas trazido pela Ômicron. No entanto, ele descarta uma nova paralisação do futebol brasileiro e um novo fechamento dos estádios aos torcedores.

“Nós terminamos o ano passado numa tranquilidade total. Mas agora o cenário mudou e o protocolo atual não funciona mais. A CBF vai aumentar exigência dos controles. Além do comprovante, vamos voltar a exigir os testes negativos de Covid-19. Sempre trabalhamos com um protocolo vivo com base na ciência e na proteção dos envolvidos. O calendário está mantido por hora. Não pensamos em retirar público não, mas isso será discutido mais para frente”, afirma Pagura.

Ele ainda ressalta que as adaptações sanitárias também serão aplicadas aos atletas de futebol e não apenas aos torcedores. Pagura explica que o controle aos jogadores será mais rígido, em comparação ao ano passado.

Cuidados básicos ajudam a prevenir a Covid-19 e a gripe:

“Como outra medida também estudamos criar um passaporte vacinal específico para os jogadores, onde um banco de dados consiga checar se o atleta está imunizado corretamente e, consequentemente, liberado para disputar a partida. Os testes antígenos nos atletas também serão intensificados”, destaca o médico.

Uma nova reunião marcada para a próxima terça-feira (11) na sede da CBF, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro, deve selar os detalhes finais do novo protocolo. O encontro deve acontecer na parte da tarde e terá a participação de membros da CNMF e cartolas da entidade.

Mais Recentes da CNN