Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com pênalti perdido e expulsão, Atlético-MG empata no Equador pela Libertadores

    Time cedeu empate e teve Allan expulso, mas perdeu chance da vitória no fim, com Hulk

    Atacante Ademir abriu o placar para o Atlético-MG contra o Emelec nesta terça-feira (28)
    Atacante Ademir abriu o placar para o Atlético-MG contra o Emelec nesta terça-feira (28) Pedro Souza/Atlético

    Leandro Silveiracolaboração para a CNN

    Ouvir notícia

    Na primeira partida em que o VAR foi utilizado nesta edição da Copa Libertadores da América, o auxílio do vídeo e um pênalti perdido por Hulk foram determinantes para o resultado. Em Guayaquil, no Equador, o Atlético-MG cedeu o empate ao Emelec por 1 a 1, nesta terça-feira (28), no jogo de ida das oitavas de final.

    O time mineiro abriu o placar com Ademir, no primeiro tempo, naquele que foi o seu terceiro gol nos últimos quatro compromissos. Mas acabou cedendo a igualdade na etapa final, em pênalti convertido pelo uruguaio Sebastián Rodríguez e assinalado após consulta ao VAR, na etapa final. E logo depois teve Allan expulso pelo argentino Fernando Rapallini. Ainda teve a chance de vencer no fim, mas Hulk desperdiçou um pênalti.

    Atlético-MG e Emelec voltarão a se encontrar na próxima terça-feira (5), às 19h15, no Mineirão. O time vencedor estará classificado às quartas de final da Libertadores. E em caso de nova igualdade, a vaga será definida na disputa de pênaltis.

    O Atlético-MG avançou às oitavas de final da Libertadores ao liderar o Grupo D, com 11 pontos, sendo 7 deles somados como visitante. Assim, segue invicto fora de casa na competição, mas perdeu a chance de ganhar mais uma vez longe de Belo Horizonte. Já o Emelec havia sido o segundo colocado do Grupo A, com 8.

    O duelo com o Emelec representou a despedida de uma parceria. Afinal, este foi o último jogo em que o Atlético-MG utilizou uniforme da Le Coq Sportif, que assumiu o fornecimento de material esportivo do clube em maio de 2019. Agora, será sucedido pela Adidas.

    Nesses pouco mais de três anos, em conjunto com o clube, a Le Coq promoveu o concurso Manto da Massa, em 2020, 2021 e 2022, em que torcedores desenhavam opções de uniforme do clube, com uma votação popular definindo o que seria produzido. Além disso, estampou a camisa do time na histórica temporada 2021, marcada pelas conquistas dos títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

    Como foi o jogo

    Após poupar boa parte dos titulares no fim de semana, diante do Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG não descansou ninguém no Equador, embora quatro titulares tenham sido desfalques: os lesionados Jair, Zaracho e Keno, além de Mariano, afastado em função do falecimento da sua mãe.

    Porém, Nathan Silva, Nacho Fernández e Hulk retornaram ao time, com Turco Mohamed optando por escalar Rubens, um dos destaques diante do Fortaleza, e Ademir, autor de gols nos recentes duelos com o Flamengo, como titulares, em detrimento de opções como Eduardo Sasha, Savinho ou Vargas.

    E foi com algumas dessas novidades que o Atlético-MG abriu o placar no Equador. Afinal, após suportar sem maiores riscos a pressão inicial do Emelec, o time se impôs e passou a encontrar espaços, finalizando duas vezes com perigo, com Rubens e Ademir, antes de marcar.

    E o gol foi de Ademir. Aos 16 minutos, após lançamento de Everson, Hulk fez o pivô para Nacho, que colocou o atacante de frente para a meta adversária. Ademir não desperdiçou: chutou rasteiro, para colocar o Galo em vantagem. E o time poderia ter ampliado, aos 23, com Hulk.

    Parecia tão fácil que o Atlético-MG diminuiu a intensidade e a posse de bola ofensiva, correndo riscos no fim do primeiro tempo. O Emelec, até então apagado na partida, tentou aproveitar. Chegou com perigo em um contra-ataque, aos 38, com Sebastián Rodríguez, e, principalmente, aos 41 minutos, quando o chute de Jackson Rodríguez acertou a trave.

    Na retomada do jogo, o Emelec seguiu mais com a posse de bola, mas o Atlético-MG parecia mais atento à marcação e chegou a perder uma chance clara com Ademir em contra-ataque. Porém, o jogo se modificou quando a arbitragem foi chamada pelo VAR para rever o lance da origem desse lance. E detectou um pênalti de Nathan Silva em Cabeza, atingido com o braço aberto. Na cobrança, aos 11 minutos, Sebastián Rodríguez chutou forte e alto, empatando o duelo.

    E uma nova definição com a intervenção do VAR tornou o jogo mais desconfortável para o Atlético-MG. Aos 22, após troca de provocações e encontrões de cabeça com Jackson Rodríguez, Allan acertou uma cotovelada no adversário. E o árbitro, após observar o vídeo da disputa, expulsou o meio-campista.

    A partir daí, o Atlético-MG passou a ter maiores preocupações defensivas. Ainda assim, poderia ter conquistado a vitória em jogadas criadas por Hulk, aos 25, quando Ademir bateu por cima, e aos 34, quando o artilheiro parou no goleiro Ortíz. O atacante teve nova chance de marcar no fim, mas falhou. Derrubado na grande área por Mejía, bateu pênalti aos 42 minutos, parou em Ortiz, que espalmou para escanteio, assegurando o empate no Equador. A definição do confronto, então, ficou para o Mineirão.

    Agenda

    Antes de voltar a encontrar o Emelec, o Atlético-MG voltará a campo pelo Brasileirão. No sábado (2), às 16h30, o time vai visitar o Juventude, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, em duelo válido pela 15ª rodada.

    Mais Recentes da CNN