Djokovic tem entrada negada na Austrália e busca liminar para impedir deportação

Astro do tênis recebeu uma carta do governo australiano dizendo que seu visto havia sido negado

Courtney Walshda Reuters

Ouvir notícia

Novak Djokovic, a estrela do tênis número 1 do mundo, teve sua entrada negada na Austrália nesta quinta-feira (6) – no fuso horário local – após receber inicialmente uma isenção médica para os requisitos de vacinação de Covid-19 do país para que pudesse jogar no Aberto da Austrália.

O astro do tênis, que ficou “preso” no aeroporto Tullamanrien, em Melbourne, durante a noite, recebeu uma carta do governo australiano dizendo que seu visto havia sido negado e que ele seria deportado, disse uma fonte próxima ao torneio à Reuters.

O tenista entrou com um pedido de liminar para impedir sua deportação, segundo informou a fonte.

No ano passado, Djokovic se recusou a revelar seu status de vacinação e disse que não tinha certeza se defenderia seu título no Aberto da Austrália de 2022 por conta das regras de quarentena do país.

O ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, chegou a dizer que Djokovic e qualquer outro tenista precisaria se vacinar com as duas doses para entrar no país.

“Passei um tempo de qualidade fantástico com meus familiares queridos durante as férias e hoje estou indo para o Down Under com uma permissão de isenção”, disse o tenista sérvio, usando o termo que denomina os países do Pacífico Sul, como Austrália, Nova Zelândia e demais países da Oceania.

“Vamos para 2022”, disse ainda Djokovic em seu perfil no Instagram.

Mais Recentes da CNN