Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    F1 e Mercedes condenam uso de termo racista em fala de Piquet sobre Hamilton

    Em nota, categoria afirmou que "Lewis é um embaixador incrível para nosso esporte e merece respeito"; equipe do piloto inglês disse que condena "nos termos mais fortes o uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo"

    Léo Lopesda CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    A Fórmula 1 e a equipe Mercedes-AMG Petronas condenaram, nesta terça-feira (28), o uso de um termo racista pelo ex-piloto brasileiro Nelson Piquet ao se referir ao heptacampeão Lewis Hamilton.

    Piquet chamou Hamilton de “neguinho” ao comentar um acidente que envolveu o piloto inglês e o belga-holandês – e genro de Piquet – Max Verstappen, no Grande Prêmio (GP) de Silverstone, em 2021.

    A declaração aconteceu em uma entrevista em novembro do ano passado ao canal Motorsports Talk, mas só veio à tona recentemente.

    Em nota enviada à CNN, a Fórmula 1 afirmou que “Lewis é um incrível embaixador por nosso esporte e merece respeito”.

    “Condenamos nos termos mais fortes o uso de linguagem racista ou discriminatório de qualquer tipo”, afirmou a Mercedes, em comunicado divulgado pelo Twitter.

    À CNN, a Fórmula 1 também declara que “linguagem discriminatória ou racista é inaceitável em todas as formas e não tem um papel na sociedade”.

    A categoria conclui seu posicionamento dizendo que os esforços “incansáveis” de Hamilton “para aumentar a diversidade e inclusão são uma lição para muitos e algo que estamos comprometidos na F1”.

    Já a escuderia do piloto inglês destacou que “Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo, e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora da pista”.

    “Juntos, compartilhamos uma visão para um automobilismo diverso e inclusivo, e este incidente sublinha a importância fundamental de continuar a lutar por um futuro mais brilhante”, conclui o posicionamento da Mercedes.

    Além disso, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que regulamenta a Fórmula 1, reiterou as palavras do comunicado emitido pela categoria, e expressou solidariedade a Hamilton.

    “Apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no automobilismo”, afirmou a FIA.

    A declaração de Piquet

    O ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet usou o termo racista “neguinho” para se referir ao heptacampeão Lewis Hamilton em uma entrevista.

    “O neguinho meteu o carro e deixou porque não tinha jeito de passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele é que só o outro [Verstappen] se f*deu”, afirmou Piquet ao canal Motorsports Talk, em novembro.

    Piquet é sogro de Verstappen, que namora a brasileira, nascida na Alemanha, Kelly Piquet.

    O acidente apontado por Piquet ocorreu enquanto Hamilton e Verstappen disputavam o primeiro lugar na corrida.

    Nelson Piquet em julho de 2013, na Inglaterra. / Andrew Hone / Getty Images

    Após ter a roda traseira direita tocada pelo inglês, Verstappen perdeu a direção e se chocou contra o muro de pneus em Silverstone. Hamilton manteve a liderança até o final de etapa e garantiu a vitória.

    Na atual temporada, Max Verstappen lidera o campeonato com 175 pontos, enquanto Hamilton ocupa a sexta posição, com 77 pontos. Os pilotos retornam às pistas no próximo domingo (3), no Grande Prêmio de Silverstone.

    Nelson Piquet foi procurado pela CNN, que aguarda posicionamento.

    Mais Recentes da CNN