Federer anuncia que não disputará Aberto da Austrália por conta das lesões

Tenista suíço poderá voltar a correr em janeiro e treinar na quadra apenas em março ou abril

Roger Federer em Wimbledon no dia 7 de julho deste ano
Roger Federer em Wimbledon no dia 7 de julho deste ano Peter van den Berg/USA TODAY Sports

Ian RansomRohith NairSudipto Gangulyda Reuters

Ouvir notícia

Roger Federer não disputará o Aberto da Austrália em janeiro e é improvável que volte às competições até meados de 2022, uma vez que está se recuperando de várias cirurgias no joelho. O anúncio foi feito pelo próprio ex-número 1 do mundo à imprensa suíça.

Federer, de 40 anos, também disse que ficaria “extremamente surpreso” se pudesse jogar em Wimbledon, um Grand Slam que conquistou oito vezes, um recorde, sendo o último em 2017.

O vinte vezes campeão de Grand Slams disse que poderá voltar a correr em janeiro e treinar na quadra em março ou abril.

“Preciso ser muito paciente e dar ao meu joelho tempo para sarar. Os próximos meses serão cruciais”, disse Federer ao jornal suíço Le Matin.

O agente de Federer não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Federer está empatado com o espanhol Rafael Nadal e o sérvio Novak Djokovic na disputa para ser o maior vencedor de torneios de Grand Slam de todos os tempos.

Seu técnico, Ivan Ljubicic, havia antecipado, no início desta semana, que seria improvável que Federer jogasse no Melbourne Park em janeiro por conta das lesões.

Mais Recentes da CNN