Jogo entre Flamengo e Grêmio será 1º evento-teste no Rio após mudanças em restrições

Prefeitura liberou 35% da capacidade do Maracanã, o que corresponde a quase 25 mil pessoas; torcedores tiveram dificuldade para retirar ingressos em pontos de troca

Jogo entre Flamengo e Grêmio nesta quarta-feira (15) terá volta do público ao Maracanã em evento-teste
Jogo entre Flamengo e Grêmio nesta quarta-feira (15) terá volta do público ao Maracanã em evento-teste Alexandre Vidal - 25.ago.2021/ Flamengo

Beatriz PuenteBruna Carvalhoda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Rio de Janeiro terá, nesta quarta-feira (15), o primeiro evento-teste na cidade com a presença de público após a prorrogação das medidas restritivas até a próxima segunda-feira (20).

Para a partida a entre Flamengo e Grêmio, pela Copa do Brasil, a Prefeitura liberou 35% da capacidade do Maracanã, o que corresponde a quase 25 mil pessoas.

Os torcedores terão que apresentar o comprovante de vacinação, além de um teste negativo para Covid-19 feito em um laboratório credenciado pelo clube carioca pelo menos 48 horas antes da partida.

Na manhã desta quarta, alguns torcedores enfrentaram problemas para acessar os resultados dos exames que deveriam ser disponibilizados em pontos de troca pela cidade. Ao chegarem para retirar o ingresso foram informados que o exame ainda não constava no sistema.

Um deles foi o torcedor Leonardo Pincelli. Ele chegou cedo na bilheteria do Maracanã, mas como resultado do exame ainda não constava no sistema, precisou aguardar.

“A burocracia dessa vez está um pouquinho mais complicada, mas para quem gosta, a gente consegue passar por tudo isso. Fiz o exame, já saiu negativo, estou aguardando o envio para o sistema, para o Flamengo liberar o ingresso e a pulseira para mais tarde entrar no estádio”, contou o torcedor.

O laboratório informou que os resultados não são impressos e vão direto para o sistema do clube. O Flamengo, por sua vez, disse que não teve nenhuma instabilidade no sistema e que os possíveis problemas devem ter sido pontuais.

Monitoramento por 15 dias

Outra medida de controle adotada pela Secretaria Municipal de Saúde nesse evento-teste será o monitoramento de todo o público do estádio por meio do CPF pelo prazo de 15 dias. Também está previsto o distanciamento de um metro entre as cadeiras disponíveis e a obrigatoriedade do uso de máscara.

A prefeitura do Rio montou um esquema operacional de segurança que contará com agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), da Guarda Municipal, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), da Secretaria de Conservação e da Subprefeitura da Grande Tijuca.

Profissionais da Comlurb fizeram uma limpeza com cloro durante a manhã desta quarta-feita em toda a área externa do estádio. As grades instaladas para organizar as filas de acesso e a bilheteria passaram por esse processo.

A Seop informou que vai atuar com um efetivo de 280 profissionais para reforçar a segurança, bloquear as imediações do estádio, além da fiscalizar as medidas de proteção à vida em bares e restaurantes do entorno do Maracanã.

Para o jogo de hoje, as barreiras de acesso no entorno do estádio serão colocadas 4 horas antes da partida, prevista para começar às 20h30. Os portões do Maracanã serão abertos 3 horas antes do jogo.

Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o estado do Rio de Janeiro já contabiliza 1.296 casos da variante Delta. A taxa de ocupação em leitos de UTI na capital por Covid-19 está em 79%.

Próximas partidas com público

No domingo (19), Flamengo e Grêmio voltam a se enfrentar, mas pelo Campeonato Brasileiro. Para essa partida, a prefeitura liberou 40% da capacidade de público do Maracanã, o que corresponde a 28.324 pessoas.

O terceiro jogo com autorização para presença do público será entre Flamengo e Barcelona de Guayaquil, pela Conmebol Libertadores, na quarta-feira (22), que terá metade do público autorizada. Os três jogos servirão de eventos-teste para a retomada do público nos jogos de futebol.

Mais Recentes da CNN