Lacoste diz que irá conversar com Djokovic após deportação da Austrália

Tenista perdeu uma ação judicial para anular o cancelamento de seu visto por não estar vacinado contra a Covid-19

Lacoste quer revisar os fatos que ocorreram durante a passagem de Novak Djokovic pela Austrália
Lacoste quer revisar os fatos que ocorreram durante a passagem de Novak Djokovic pela Austrália REUTERS/Loren Elliott

Mimosa Spencerda Reuters

Ouvir notícia

A marca de vestuário francesa Lacoste, patrocinadora de Novak Djokovic, disse, nesta segunda-feira (17), que irá entrar em contato com o tenista o mais rápido possível para “revisar os eventos que acompanharam sua presença na Austrália.”

O sérvio, que não foi vacinado contra a Covid-19, foi deportado do país no domingo (16), antes do Australian Open. Ele perdeu uma ação judicial para anular o cancelamento de seu visto.

Segundo o juiz James Allsop, um dos três magistrados envolvidos no caso, o julgamento não se tratava sobre o mérito da decisão do ministro da Imigração, Alex Hawke, e sim sobre a legalidade de tal. A decisão foi unânime e as razões serão publicadas em data posterior, informou Allsop.

Os advogados do governo australiano argumentaram que a permanência de Djokovic no país estimulava a não vacinação contra a Covid-19, dizendo que o sérvio teve diversas chances de se imunizar. Deportado, o tenista não pode retornar à Austrália pelos próximos três anos, segundo as leis de imigração do país.

“Estou extremamente desapontado com a decisão do Tribunal de indeferir meu pedido de revisão judicial da decisão do Ministro de cancelar meu visto, o que significa que não posso permanecer na Austrália e participar do Aberto da Austrália”, disse Djokovic em um comunicado divulgado após a audiência.

(*Com informações de Henrique Andrade e João Pedro Malar, da CNN)

 

Mais Recentes da CNN