Lewis Hamilton e Serena Williams entram na disputa pela compra do Chelsea

Heptacampeão mundial de Fórmula 1 e ex-número um do mundo do tênis se juntaram à oferta do empresário britânico Martin Broughton

Simon EvansAadi Nairda Reuters

Ouvir notícia

A ex-número um do mundo do tênis Serena Williams e o heptacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton se juntaram à oferta do empresário britânico Martin Broughton para comprar o Chelsea, uma fonte próxima à oferta disse à Reuters nesta quinta-feira (21).

O consórcio do ex-presidente do Liverpool, Broughton, inclui o presidente da World Athletics, Sebastian Coe, e investidores ricos de todo o mundo. O grupo diz que todos querem manter o alto status do Chelsea como clube de futebol.

Os veteranos de private equity Josh Harris e David Blitzer, donos de times esportivos como o Philadelphia 76ers da NBA (National Basketball Association), também estão apoiando a oferta de Broughton.

Williams e Hamilton prometeram cerca de 10 milhões de libras (US$ 13,06 milhões) cada para a oferta.

A Reuters entrou em contato com representantes de Broughton e Williams para comentar.

Williams já é investidora do Angel City FC, de Los Angeles, que joga na Liga Nacional de Futebol Feminino dos EUA.

As ofertas finais para o clube, que foi colocado à venda pelo proprietário Roman Abramovich após a invasão russa da Ucrânia antes das sanções serem impostas ao oligarca pelo governo britânico, foram apresentadas no início deste mês.

Outros na lista para comprar o clube da Premier League são o co-proprietário do LA Dodgers, Todd Boehly, e o co-proprietário do Boston Celtics, Steve Pagliuca.

Um consórcio liderado pelos proprietários do Chicago Cubs, a família Ricketts, saiu da disputa.

A venda do clube está sendo supervisionada pelo banco americano Raine Group.

Mais Recentes da CNN