Medalha de ouro de patinadora russa é contestada após informações sobre doping

Kamila Valieva teria ingerido a substância trimetazidina, utilizada no tratamento de angina, segundo dois jornais russos

Por Gabrielle Tétrault-Farber, da Reuters

Ouvir notícia

Dois jornais russos reportaram, na quarta-feira (9) que a estrela olímpica de 15 anos Kamila Valieva obteve resultado positivo em um teste para uma substância proibida, após o Comitê Olímpico Internacional (COI) dizer que “consultas jurídicas” forçaram o adiamento da cerimônia de premiação para o evento de patinação artística nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.

Os jornais RBC e Kommersant identificaram a substância como a trimetazidina, utilizada no tratamento de angina e proibida dentro e fora de épocas de competição.

As notícias chegaram tarde da noite em Pequim. A Reuters tentou entrar em contato com o chefe de missão do Comitê Olímpico Russo (ROC) para solicitar um comentário, mas seu telefone não foi atendido.

Mais cedo, o comitê se recusou a comentar as informações de que Valieva, que é integrante da equipe russa vencedora da competição de equipes de patinação artística na segunda-feira (7), teve um teste positivo.

A trimetazidina consta na lista de moduladores metabólicos da Agência Mundial Antidoping (Wada).

Os atletas russos estão competindo nos Jogos Olímpicos de Pequim como representantes do Comitê Olímpico Russo, sem a bandeira e hino nacional do país, por conta das sanções aplicadas ao país por violações anteriores da política de doping.

 

Mais Recentes da CNN