Prodígio de 17 anos pode ser o sucessor de Salah no Liverpool

Kaide Gordon estreou pelo time principal no mês passado e tem estilo de jogo similar ao do craque egípcio

Kaide Gordon assina contrato profissional com o Liverpool
Kaide Gordon assina contrato profissional com o Liverpool Liverpool FC

Jack Bantockda CNN

Ouvir notícia

Com Mohamed Salah ainda sem assinar um novo contrato, os torcedores do Liverpool temem sobre como seria a vida sem o “Rei egípcio”. No entanto, Anfield pode ter um herdeiro ao trono pronto à espera – Kaide Gordon.

O jovem ala completou apenas 17 anos no início deste mês, mas já está causando sucesso no Liverpool. Selecionado para passar a pré-temporada com o time masculino, Gordon rapidamente fez sua estreia como titular na vitória da Carabao Cup contra o Norwich, em setembro.

Vindo do Derby County em fevereiro, a rápida integração do jovem a um dos gigantes do futebol europeu marca uma ascensão meteórica que poucos teriam previsto.

O renomado cientista esportivo Simon Brundish é um desses poucos. Com Gordon frequentando a mesma escola que seu filho, Brundish teve um lugar na primeira fila para os primeiros desenvolvimentos do ala.

Tecnicamente excelente com uma atitude feroz para corresponder, o recente crescimento físico de Gordon convence Brundish de que ele está destinado à grandeza tanto no clube quanto na seleção.

“Inequivocamente, o melhor jovem de 17 anos que já vi”, disse Brundish à CNN Sport . “Você definitivamente precisa se lembrar do nome dele”.

“Ele cresceu 18 cm só neste ano, quando já tinha assinado e jogado pelo Liverpool – então ele não foi contratado porque era grande, teve que resolver todos os problemas quando era pequeno. É impetuoso”, continuou Brundish. “Agora, ele cresceu nas qualidades físicas – pode superar 34 km/h em sprints e consegue mais de 40 sprints por jogo – tudo o que ele tem que trabalhar agora são elementos táticos e a experiência para poder voar”.

Estilo de Salah

Como muitos jogadores jovens, Gordon desempenhou várias posições nas categorias de base antes de se estabelecer. Originalmente um meio-campista central – elegante com a bola, e um defensor combativo – Gordon acabou transitando para a ala direita, refletindo a ascensão do atacante.

É justo dizer que o Liverpool já possui o melhor jogador do mundo nesta posição – discutivelmente o melhor do mundo em qualquer posição atualmente – em Mohamad Salah. O egípcio coleciona recordes desde sua chegada da Roma em 2017, ganhando mais dois na goleada histórica de 5 a 0 sobre o Manchester United ao se tornar o primeiro jogador adversário da Premier League a marcar três gols em Old Trafford, assim como o maior artilheiro africano de todos os tempos da liga.

Com dois golaços contra Manchester City e Watford, Salah parece determinado a ter sua própria competição por gol mais bonito da temporada.

Contra o  Watford, em particular, foi uma exibição de dribles e controle de cair o queixo – recebeu a bola dentro da área, passou por três camisas amarelas em um espaço do tamanho de uma cabine telefônica antes de tocar no canto.

Foi uma demonstração de brilho e toque individual que Brundish acredita que solidifica a reputação “sem precedentes” de Salah como o maior jogador da Premier League de todos os tempos, ao lado de Thierry Henry, e o coloca no caminho certo para a Bola de Ouro.

Salah contra o Manchester United

Os laterais da Premier League que se preparem, mas Brundish acredita que Gordon, um estudante do jogo de Salah, pode já ter ultrapassado o professor em algumas áreas.

“Seu domínio é absolutamente fenomenal”, disse Brundish. “Ele [Gordon] é puramente canhoto, mas também pode chutar com a direita, mas acho que ele está modelando seu jogo cada vez mais em Salah. Ele era como um Roy Keane, mas muito técnico. Ele partia você ao meio e depois corria com a bola rindo de você e a batia no canto”.

“À medida que envelheceu, ele gradualmente passou para o lado direito”, completa.

Aao lado de Roberto Firmino e Sadio Mane, Salah lidera um tridente de ataque que se tornou sinônimo não apenas de gols, mas de uma feroz ética de trabalho necessária para a marca de futebol do técnico Jürgen Klopp.

Talvez inevitável devido à sua qualidade, as questões foram levantadas sobre a dependência do Liverpool neste trio. Todos os três disputaram um mínimo de 35 jogos na última temporada – uma prova de brilhantismo e durabilidade – mas também uma indicação de falta de profundidade no elenco.

Com a Copa das Nações da África em janeiro, o Liverpool será forçado a seguir sua busca pelo título sem Mane e Salah. A ausência pode significar uma oportunidade para Gordon, e Brundish acredita que ele é uma excelente opção para o estilo tático de Klopp.

“Ele tem uma visão sublime e coragem para perder a bola e recuperá-la, o que é uma qualidade do Liverpool – recuperar a bola logo depois de perdê-la. Ele só precisa aprender os momentos adequados para correr o risco, onde as armadilhas estão. Ele lembra o Phil Foden, mas é um pouco maior”, explica. “Ele cresceu e provavelmente tem mais 10 quilos de músculos para adicionar, o que vai transformar seu jogo”.

A história de Kaide

Quando a Football Association (FA) cancelou o futebol de algumas categorias de base devido à pandemia, Gordon foi um dos poucos promovidos pelo time do Sub-18 do Derby County para treinar com o time principal sob a gestão de Wayne Rooney.

Muitas vezes existe uma noção romântica de que ‘a nata sempre chega ao topo’ – que os melhores jovens jogadores viajam em um caminho linear, quase pré-ordenado para a grandeza – mas a pausa oportunista de Gordon reflete vários outros talentos ingleses.

Kaide Gordon Derby County
Kaide Gordon atuando pelo Derby County no início do ano / Reprodução/Instagram

Marcus Rashford teve sua chance no Manchester United em 2016 após uma crise de lesão sem precedentes, enquanto Harry Kane, do Tottenham Hotspur – a caminho de se tornar o maior artilheiro de todos os tempos da Premier League – passou várias temporadas emprestado antes de finalmente conseguir sua chance em 2014.

Na realidade, as descobertas muitas vezes podem surgir da coincidência e do acaso, embora devam sempre ser aproveitadas quando chegam. Como Rashford e Kane, Gordon o fez enfaticamente.

“Ele pode ter se beneficiado mais da Covid do que qualquer outra pessoa na Terra que não se chama Jeff [Bezos]”, brinca Brundish. “Há um momento em que ele passa a bola entre as pernas de Rooney no treino e isso meio que abriu a cabeça de Rooney, Lembra um pouco como o momento famoso em que Steven Gerrard fez o mesmo com Paul Ince.

“E então ele estava treinando o primeiro time e jogu em uma das copas, o lhe deu alguma reputação. Agentes estavam de olho e muito se falava dele ir para o Man United. O Liverpool não deixou isso acontecer”, acrescentou Brundish

“Temos um novo jogador aqui!”

Antes do jogo com o Norwich no mês passado, Gordon recebeu uma avaliação brilhante do assistente técnico do Liverpool, Pep Ljinders. Explicando como os melhores jovens talentos do clube normalmente começam a temporada uma semana antes do time principal, treinando com os Sub-23, Ljinders lembrou como Gordon imediatamente chamou sua atenção.

“Fui ao campo de treinamento do Sub-23 e vi um jogador – e ele tem fogo a cada momento em que toca na bola”, disse Ljinders ao site do Liverpool. “Ele passa pelos jogadores como se não estivessem lá. Então eu ligo para Klopp imediatamente, tipo ‘Uau, temos um novo jogador aqui!'”

Kaide Gordon sub-23 Liverpool
Kaide Gordon comemora gol pelo sub-23 do Liverpool / Liverpool FC

Foram vários os momentos durante a pré-temporada que ajudaram Gordon a ganhar o respeito de seus colegas mais velhos – o que não é fácil em um time formado por alguns dos jogadores mais experientes e vencedores.

“Você sabe que tem um bom jogador ao seu redor quando os jogadores mais experientes começam a cuidar dele”, disse Ljinders. “Então, quando você vê James Milner falando com Kaide, quando você vê Trent [Alexander-Arnold] se tornando um mentor adequado, quando você vê que eles o convidam para se sentar à mesa. Isso é bom para ele, para se adaptar ao nosso time e ao nosso estilo”.

“Jogadores como ele têm a habilidade de driblar, mas não têm essa vontade de chutar, de entrar na área, de marcar. Mas ele é um típico ala do Liverpool, na minha opinião, porque tem gols, tem velocidade – realmente gosto dele e estou muito feliz por estar conosco”.

Sua estreia em Norwich não foi nenhuma surpresa. Gordon parecia confortável jogando em um time alternado do Liverpool contra um adversário da Premier League e ganhou elogios de seu técnico após o jogo.

“Sim, ele é bom – é o que diz sobre ele”, disse Klopp ao site do Liverpool. “Muitas coisas para melhorar, muitas coisas para resolver, muitas coisas para aprender, mas já há boas coisas ali. Estamos muito felizes por tê-lo por perto e vamos tratá-lo com cuidado”.

“A primeira coisa que Kaide me disse após o jogo, quando eu queria dizer, ‘Parabéns’, ele me disse: ‘Obrigado!’ Eu disse: ‘Não há nada para me agradecer, você mereceu'”. completou.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)

Mais Recentes da CNN