Rebeca Andrade leva ouro no salto e é a 1ª campeã olímpica do país na ginástica

Atleta vence prova do salto nas Olimpíadas 2020; é a primeira ginasta do país a conquistar duas medalhas na mesma edição

Marcelo Tuvuca, colaboração para a CNN

Ouvir notícia

Rebeca Andrade conseguiu neste domingo (1º) a primeira medalha de ouro da história da ginástica artística feminina do Brasil. Ela venceu a disputa do salto das Olimpíadas 2020, com média de 15.083 em suas duas tentativas.

Medalha de prata na última quinta-feira (29) na prova do individual geral, Rebeca chegou à final do salto como uma das favoritas ao ouro após a desistência de Simone Biles, campeã no Rio. E ela confirmou as expectativas após assistir a um erro grave daquela que aparentava ser sua principal adversária na luta pelo ouro, a norte-americana Jade Carey.

Suas maiores rivais na decisão foram Mykayla Skinner, justamente a substituta de Biles, que ficou com a prata, e a sul-coreana Yeo Seo-jeong, medalha de bronze. 

O ouro de Rebeca é a décima medalha conquistada pelo Brasil nos Jogos – há outras duas garantidas no boxe. Veja o quadro de medalhas.

Após dois saltos bem executados, Rebeca Andrade cumprimenta seu treinador
Após dois saltos bem executados, Rebeca Andrade cumprimenta seu treinador
Foto: Natacha Pisarenko – 1.ago.2021/AP

Candidatas erram, e brasileira crava melhor média 

Sem a presença de Biles, a prova ensaiou um duelo entre Rebeca e Carey, que conseguiram as melhores médias na classificatória entre as outras finalistas — 15.166 para a norte-americana e 15.100 para a brasileira na disputa do domingo passado (25).

Outra ginasta que figurava entre as candidatas ao pódio, Mykayla Skinner foi a primeira atleta a saltar na final. Ela tirou 15.033 e 14.800 nas duas tentativas, ficando com média de 14.916.

Terceira na lista de candidatas, Rebeca executou seu salto mais difícil, com nota de partida de 6.000, em sua primeira tentativa. A execução não foi perfeita – ela cometeu um erro na aterrissagem, pisando fora da linha, e perdeu um décimo em sua pontuação. Ainda assim, conseguiu cravar 15.166. No segundo salto, de dificuldade 5.800, a brasileira obteve a nota de 15.000 e ficou com a média de 15.083, ultrapassando Skinner.

Próxima a saltar, Carey errou a sua primeira tentativa e obteve uma nota muito baixa (11.933). Fora da disputa por medalha, ela conseguiu 12.000 no segundo salto, com média de 12.416, e terminou a final na oitava e última posição.

Na sequência, Yeo Seo-jeong ameaçou tirar o ouro da brasileira ao cravar o melhor salto da final em sua primeira tentativa (15.333). Na segunda, no entanto, a execução não foi boa e rendeu uma nota de 14.133 para a sul-coreana. A média de 14.733 garantiu o bronze.

A quebra de marcas históricas

Na última quinta-feira (29), Rebeca havia se tornado a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha na ginástica artística dos Jogos Olímpicos. Foi, também, o primeiro pódio de um atleta do país, entre homens e mulheres, na prova do individual geral, que premia o ginasta mais completo em quatro aparelhos.

O ouro deste domingo hoje derruba outras marcas da ginástica artística do país. Além de ser o primeiro título entre as mulheres, a vitória no salto também é inédita para o Brasil, que nunca havia subido ao pódio nesta prova.

Rebeca ainda se tornou a primeira brasileira da ginástica – e a primeira mulher, entre todas as modalidades – a ganhar mais de uma medalha em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos.

Agora, ela ainda tem chances de quebrar mais recordes na final do solo, onde se apresentará, novamente, ao som de “Baile de Favela”. A decisão está marcada para começar às 5h57 (de Brasília) desta segunda-feira (2).

 

Mais Recentes da CNN