Surfista 11 vezes campeão mundial não poderá competir na Austrália sem estar vacinado

Ministro da Saúde australiano afirmou que o norte-americano Kelly Slater só poderá disputar as etapas em abril e maio se comprovar imunização

Kelly Slater surfa durante evento promocional em Sydney
Kelly Slater surfa durante evento promocional em Sydney David Gray/Reuters

Dhruv Munjalda Reuters

Bengaluru

Ouvir notícia

O surfista norte-americano Kelly Slater não poderá competir nos próximos eventos na Austrália se não for vacinado contra a Covid-19, disse o ministro australiano da Saúde, Greg Hunt, nesta quinta-feira (20).

O onze vezes campeão mundial Slater, que não revelou seu status de vacinação, defendeu o tenista número 1 do mundo, Novak Djokovic, depois que o sérvio não vacinado foi detido e, posteriormente, deportado pelas autoridades australianas antes do Aberto da Austrália.

Dois eventos do campeonato da World Surf League estão programados para Victoria e Austrália Ocidental em abril e maio. Ainda não está claro se Slater, de 49 anos, participará.

“Acho que fomos bem claros com o caso de Novak Djokovic de que sem vacina, sem jogo”, disse Hunt à emissora australiana Channel 9.

“É uma mensagem bem simples, não importa o esporte, somos imparciais. Espero que ele (Slater) seja vacinado e compita.”

A World Surf League não impôs vacinação obrigatória para os competidores, mas os encorajou a tomar o imunizante, alertando que podem enfrentar desafios “significativos” se optarem por não fazê-lo.

Mais Recentes da CNN