Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Termo usado é coloquial, diz Piquet após chamar Hamilton de “neguinho”

    Ex-piloto brasileiro defendeu que não teve a intenção de ofender ao se referir ao piloto britânico em entrevista

    Ludmila CandalLéo Lopesda CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    O ex-piloto brasileiro Nelson Piquet se pronunciou pela primeira vez, nesta quarta-feira (29), desde que veio à tona uma entrevista na qual se referiu ao piloto Lewis Hamilton com o termo racista “neguinho”.

    Em comunicado, Piquet declarou que “o que disse foi mal pensado”.

    Ele também afirmou que não defenderia o que disse, mas argumentou que o “termo utilizado é amplamente e historicamente utilizado coloquialmente no português brasileiro como sinônimo para “cara” ou “pessoa”, e nunca teve a intenção de ofender”.

    “Eu nunca usaria a palavra da qual fui acusado em algumas tradução. Eu condeno fortemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim com o objetivo de menosprezar um piloto pela cor de sua pele”, acrescentou Piquet.

    O brasileiro pediu “desculpas de todo coração a todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um piloto incrível”. “Mas a tradução que circulam agora nas redes sociais não está correta”, argumentou novamente.

    “Discriminação não tem lugar na Fórmula 1 ou na sociedade, e estou feliz em esclarecer meus pensamentos a respeito”, concluiu Piquet.

    “Mentalidades arcaicas”

    O piloto Lewis Hamilton fez uma série de publicações no Twitter em referência ao assunto.

    Na primeira delas, ele compartilha um tweet que escrevia: “E se Lewis Hamilton apenas publica-se ‘Quem diabos é Nelson Piquet?’ e fechasse o Twitter.” Hamilton respondeu: “Imagina”.

    Então, Hamilton, que é cidadão honorário brasileiro, publicou em português: “Vamos focar em mudar a mentalidade.”

    Na terceira e última publicação sobre o tema, o piloto disse que “é mais do que linguagem”.

    “Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e fui alvo por minha vida toda. Já houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação”, escreveu Hamilton.

    F1 e Mercedes condenam uso de termo racista em fala de Piquet sobre Hamilton

    Fórmula 1 e a equipe Mercedes-AMG Petronas condenaram, nesta terça-feira (28), a fala de Nelson Piquet.

    Em nota enviada à CNN, a Fórmula 1 afirmou que “Lewis é um incrível embaixador por nosso esporte e merece respeito”.

    “Condenamos nos termos mais fortes o uso de linguagem racista ou discriminatório de qualquer tipo”, afirmou a Mercedes, em comunicado divulgado pelo Twitter.

    À CNN, a Fórmula 1 também declara que “linguagem discriminatória ou racista é inaceitável em todas as formas e não tem um papel na sociedade”.

    A categoria conclui seu posicionamento dizendo que os esforços “incansáveis” de Hamilton “para aumentar a diversidade e inclusão são uma lição para muitos e algo que estamos comprometidos na F1”.

    Já a escuderia do piloto inglês destacou que “Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo, e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora da pista”.

    “Juntos, compartilhamos uma visão para um automobilismo diverso e inclusivo, e este incidente sublinha a importância fundamental de continuar a lutar por um futuro mais brilhante”, conclui o posicionamento da Mercedes.

    Além disso, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que regulamenta a Fórmula 1, reiterou as palavras do comunicado emitido pela categoria, e expressou solidariedade a Hamilton.

    “Apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no automobilismo”, afirmou a FIA.

    A declaração de Piquet

    O ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet usou o termo racista “neguinho” ao menos duas vezes para se referir ao heptacampeão Lewis Hamilton em uma entrevista.

    “O neguinho meteu o carro e deixou porque não tinha jeito de passar dois carros naquela curva. O neguinho deixou o carro. Ele fez de sacanagem. A sorte dele é que só o outro [Verstappen] se f*deu”, afirmou Piquet ao canal Motorsports Talk, em novembro.

    Piquet é sogro de Verstappen, que namora a brasileira, nascida na Alemanha, Kelly Piquet.

    O acidente apontado por Piquet ocorreu enquanto Hamilton e Verstappen disputavam o primeiro lugar na corrida.

    Após ter a roda traseira direita tocada pelo inglês, Verstappen perdeu a direção e se chocou contra o muro de pneus em Silverstone. Hamilton manteve a liderança até o final de etapa e garantiu a vitória.

    Na atual temporada, Max Verstappen lidera o campeonato com 175 pontos, enquanto Hamilton ocupa a sexta posição, com 77 pontos. Os pilotos retornam às pistas no próximo domingo (3), no Grande Prêmio de Silverstone.

    Mais Recentes da CNN