Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    O que pessoas próximas dizem sobre estado de Schumacher, dez anos após acidente

    Ex-piloto de Fórmula 1 sofreu acidente há exatos dez anos na França

    O ex-piloto Michael Schumacher
    O ex-piloto Michael Schumacher Pietro Naj-Oleari/European Parliament

    Leonardo Parrelada Itatiaia

    Belo Horizonte

    Michael Schumacher sofreu, há exatos dez anos, um grave acidente na estação de esqui em Mirabél, nos Alpes Franceses. Desde então, há poucas informações públicas sobre o estado de saúde do ex-piloto alemão. A esposa de Schumacher, Corinna, é responsável pelos cuidados do estado de saúde do companheiro.

    A última atualização oficial ocorreu em setembro de 2019. O jornal Le Parisien, da França, noticiou a entrada de Schumacher num hospital em Paris para tratamento cardiovascular. O responsável pelo procedimento foi o cirurgião Phillippe Menasché e sondou-se a possibilidade de Schumacher passar por um procedimento com células-tronco. Em nota, a equipe médica disse que o alemão estava “consciente”.

    Abaixo, a Itatiaia reúne algumas entrevistas de pessoas que tiveram contato com o ex-piloto alemão:

    Ralf Schumacher, irmão e ex-piloto de Fórmula 1, em dezembro de 2023
    “Sinto falta do meu Michael daquela época. A vida às vezes é injusta. Michael teve sorte muitas vezes na vida, mas então esse acidente trágico aconteceu. Felizmente, opções modernas da medicina permitiram que fizéssemos algumas coisas, mas nada é como era antes. Michael não era só meu irmão. Quando éramos crianças, ele também foi meu técnico e mentor. Ele me ensinou literalmente tudo sobre corridas de kart. Pode haver uma diferença de sete anos de idade, mas ele sempre estava ao meu lado. Posso dizer que o acidente foi uma experiência muito ruim e drástica para mim também. Mas é claro, ainda mais para os filhos dele. A vida às vezes é injusta”

    Willi Weber, ex-empresário do piloto (dezembro de 2023)
    “Infelizmente não tenho mais esperança de vê-lo novamente. Não há nenhuma notícia positiva dez anos depois. Me arrependo muito e me culpo, eu deveria ter visitado Michael no hospital. Sofri muitíssimo depois do acidente, isso me atingiu fortemente, e claro, também o fato de Corinna não permitir mais nenhum contato. Michael estava ansioso para colocar o garoto (Mick) na Fórmula 1 e gerenciar sua carreira da mesma forma que eu costumava gerenciá-lo. Se ele estivesse ao lado de Mick, o chefe da Haas (Gunther Steiner) não teria desempenhado um papel tão ruim com ele e Mick teria tido uma segunda chance em algum outro lugar”.

    Jean Todt, chefe da Ferrari (1993-2007) e ex-presidente da FIA, em dezembro de 2023
    “Michael está aqui, então não sinto falta dele. [Mas ele] simplesmente não é o Michael que costumava ser. Ele é diferente e é maravilhosamente guiado pela esposa e pelos filhos que o protegem. A vida dele agora é diferente e tenho o privilégio de compartilhar momentos com ele. Isso é tudo que há para dizer. Infelizmente, o destino o atingiu há dez anos. Ele não é mais o Michael que conhecíamos na Fórmula 1”

    Stefano Domenicali, ex-diretor esportivo da Ferrari (2002-2007), em dezembro de 2023
    “O acidente dele em Meribel parece que foi ontem, são episódios que mudam sua vida. Por respeito a ele e a sua família, devemos ficar perto dele, esta situação difícil permanece. O que há entre mim e a família permanece privado, mas viver assim por dez anos é algo que você nunca desejaria nem para o seu pior inimigo. O nosso esporte é sempre caracterizado por uma combinação de um carro muito forte e um piloto extraordinário. Com Max Verstappen, temos um piloto maduro na gestão de corridas e qualificação: ele me lembra Michael Schumacher por não deixar nada para ninguém”

    Felix Damm, advogado da família Schumacher, em outubro de 2023
    “Sempre se tratou de proteger a privacidade. É claro que discutimos muito sobre como isso foi possível. Então também consideramos se um relatório final sobre a saúde de Michael poderia ser a maneira certa de fazer isso. Mas isso não teria sido tudo e teria que haver relatórios constantemente atualizados. A mídia perguntaria repetidamente ‘Como está agora?’, um, dois, três meses ou anos depois do relatório. Então, se quiséssemos tomar medidas contra esta denúncia, teríamos de lidar com o argumento da auto-revelação voluntária. credito que a grande maioria dos fãs consegue lidar bem com isso. Eles respeitam o fato de o acidente ter desencadeado um processo em que é necessário um abrigo privado e que agora continuará a ser observado”

    Felipe Massa, ex-companheiro de Schumacher na Ferrari, em junho de 2023
    “Vi ele, mas acho que a gente tem sempre que respeitar a decisão da Corinna (esposa). O Schumacher era assim, ele era sempre muito reservado, com a família dele. A família é reservada com ele porque era o jeito que ele tinha com eles. Acho que se tivesse algo (sobre um suposto estado definitivo na saúda de Michael), a gente teria descoberto. Então eu estou sempre na torcida e rezando, para quem sabe um dia, ele possa estar aqui de volta, entrando num autódromo que é onde eu sempre estava com ele”

    Eddie Jordan, ex-piloto e dono da equipe que Schumacher estreou na F1, em abril de 2023
    “Michal está sendo cuidado incrivelmente. Será que vamos vê-lo no paddock novamente? Você sabe que seria um milagre absoluto, mas também seria um sonho. No entanto, precisamos ser realistas embora haja pessoas na ciência e pessoas na medicina que estão fazendo as coisas mais incríveis com ele. Corinna estabeleceu algumas regras, eu a conheço muito bem. Eu fiz um esforço para ver Michael nos primeiros dias após o acidente e Corinna não permitiu, e fez o certo em recusar, porque muita gente queria visitá-lo. Já se passaram quase dez anos e Corinna não pode ir a uma festa, almoçar fora. Ela é como uma prisioneira, porque todo mundo quer falar com ela sobre Michael, sendo que ela não precisa ser lembrada disso a cada minuto”

    Corinna Schumacher, esposa do ex-piloto, para documentário da Netflix sobre o alemão, em agosto de 2021
    “Privado é privado, como ele (Michael) sempre dizia. É muito importante para mim que ele continue a desfrutar da sua vida privada o máximo possível. O Michael sempre nos protegeu e agora somos nós que protegemos o Michael”

    Sabine Kehm, empresária e porta-voz do ex-piloto, em agosto de 2021
    “Em uma de nossas conversas há um tempo, ele disse que estava tentando desaparecer da mídia. Acredito que sair dos holofotes era um sonho secreto dele. E é por isso que hoje fazemos de tudo para honrar esse desejo e protegê-lo da exposição. A mídia nunca falou sobre a vida privada de Michael e Corinna. Quando eles estavam na Suíça, por exemplo, ficou claro de que era um momento privado para a família e ninguém interferiu”

    Michael Schumacher

    Michael Schumacher tem, atualmente, 54 anos. O ex-piloto teve notória carreira na Fórmula 1 em dois períodos: 1991 a 2006 e 2010 a 2012. O alemão passou por Jordan (1991), Benetton (1991-1995), Ferrari (1996-2006) e Mercedes (2010-2012). Ele conquistou sete títulos mundiais: 1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004.

    Michael é casado com Corinna Schumacher desde 1995. Com ela, teve dois filhos: Gina-Maria e Mick Schumacher. A filha disputa competições de hipismo nos Estados Unidos. O garoto é piloto de automobilismo, passou pela Fórmula 1 (2021-2022) e vai competir no Mundial de Endurance de 2024.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original