Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Plural

    Copa do Mundo Feminina já é histórica em termos de visibilidade, diz especialista

    À CNN Rádio, a diretora técnica do Museu do Futebol Marilia Bonas ponderou que, apesar da conquista, a história do futebol feminino é marcada por desigualdades

    Thais Magalhães/CBF

    Amanda Garciada CNN

    A Copa do Mundo Feminina começou nesta quinta-feira (20), sediada por Austrália e Nova Zelândia, já é “histórica.”

    Esta é a avaliação da diretora técnica do Museu do Futebol, em São Paulo, Marilia Bonas.

    À CNN Rádio, no CNN Plural, ela afirmou que o avanço é notório em termos de “visibilidade, cobertura e acesso.”

    “Neste ano, a Seleção Brasileira tem avião específico para as atletas, uniforme próprio, que só surgiu em 2015, além da conquista em investimento – ainda que assimétrico em comparação ao masculino.”

    Ela destaca que “é importante valorizar e torcer” durante toda a competição, que terá ponto facultativo para servidores públicos nos jogos do Brasil.

    A Seleção estreia na próxima segunda-feira (24), diante do Panamá.

    Ao mesmo tempo, a especialista ponderou que “a história do futebol feminino é marcada por desigualdades.”

    Marilia lembra que a modalidade feminina foi proibida por lei por mais de 40 anos no Brasil.

    A lei entedia “a mulher como tendo a função primordial de reprodutora na sociedade” e, portanto, o corpo feminino “não poderia ser ameaçado nessa função.”

    Outras modalidades femininas também foram banidas, como o atletismo.

    “Isso não significa que as mulheres pararam de jogar, mas atuavam em campeonatos amadores, no circo, à margem da prática da modalidade, obviamente, com muitos casos de prisão”, disse Marilia.

    Ela explicou que isso começou a mudar na década de 80, no período de redemocratização, e em 1983 o decreto caiu.

    “A partir disso, começa reorganização, mesmo que no amador, para as mulheres voltarem oficialmente a competir.”

    O Museu do Futebol, que fica no estádio do Pacaembu, em São Paulo, trabalha desde 2015 sobre o futebol feminino.

    Atualmente, acontece a exposição Rainha de Copas, que conta a trajetória dos mundiais femininos, que teve a primeira competição em 1991.

    *Com produção de Isabel Campos