Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Ex-jogador da NFL processa “pais adotivos” e desmente história de filme ganhador do Oscar

    Michael Oher diz que tutores jamais o adotaram, mas o fizeram dar autorização para assinar contratos comerciais em nome dele

    Michael Oher com os pais adotivos, Sean e Leigh Anne Tuohy
    Michael Oher com os pais adotivos, Sean e Leigh Anne Tuohy Matthew Sharpe/Getty Images

    Alexandra Fergusonda CNN

    O ex-jogador da NFL Michael Oher, cuja história de vida foi retratada no filme vencedor do Oscar “The Blind Side”, que foi lançado no Brasil como “Um Sonho Possível”, entrou com uma ação em um tribunal dos Estados Unidos para encerrar a tutela do casal Sean e Leigh Anne Tuohy sobre ele.

    Oher afirma que os Tuohys disseram a ele que iriam adotá-lo, mas, em vez disso, o fizeram assinar um acordo de tutela que lhes dava autoridade legal para assinar acordos comerciais em nome dele.

    A atriz Sandra Bullock ao lado da mãe adotiva de Michael Oher, Leigh Anne Tuohy, na premiere do filme "Um Sonho Possível"
    A atriz Sandra Bullock ao lado da mãe adotiva de Michael Oher, Leigh Anne Tuohy, na premiere do filme “Um Sonho Possível” / Skip Bolen/WireImage

    Sean Tuohy, o pai adotivo, disse ao “Daily Memphian” que sua família está arrasada com a notícia.

    “É perturbador alegarem que ganharíamos dinheiro com qualquer um de nossos filhos. Mas vamos amar Michael aos 37 anos, assim como o amávamos aos 16”, disse Sean Tuohy, de acordo com o jornal “Daily Memphian”.

    Oher foi internado como menor infrator no Tennessee pouco antes de completar 11 anos em 1996, e logo depois começou a viver nas ruas.

    O pai de um amigo ajudou a colocá-lo em uma escola onde começou a jogar futebol americano.

    Durante o verão após seu primeiro ano, Oher começou a ficar com Sean e Leigh Anne Tuohy ocasionalmente.

    “Onde outros pais dos colegas de classe de Michael o viam simplesmente como um bom garoto carente, Sean Tuohy e Leigh Anne Tuohy viam outra coisa: um jovem crédulo cujo talento atlético poderia ser explorado para seu próprio benefício”, diz a ação.

    Os Tuohys, “que não entraram com nenhuma ação legal no Tribunal de Menores para assumir a custódia legal de Michael”, convidaram Oher para ficar em sua casa com mais frequência e o levaram para fazer compras.

    Depois que Oher completou 18 anos, mas ainda era estudante, em julho de 2004, os Tuohys ofereceram Michael para morar com eles, afirma a petição.

    “Os Tuohys disseram a Michael que o amavam e que pretendiam adotá-lo legalmente. Michael acreditou neles, ficou encantado por fazer parte de uma família real e confiou no Sr. e na Sra. Tuohy completamente”, e os chamou de ‘mamãe’ e ‘papai’ a pedido deles”, afirma a petição.

    O documento cita ainda que logo depois que ele se mudou, os Tuohys lhe deram documentos legais que ele achava necessários para a adoção.

    “Michael confiou nos Tuohys e assinou onde eles disseram para ele assinar. O que ele assinou, no entanto, e que Michael desconhecia até depois de fevereiro de 2023, não eram papéis de adoção ou o equivalente a papéis de adoção”, afirma a petição. Em vez disso, oSean e Leigh Anne Tuohy foram nomeado como seus tutores.

    Os documentos solicitavam que o casal tivesse “controle total sobre a capacidade de Michael Oher de negociar ou entrar em qualquer contrato, apesar do fato de ele ter mais de 18 anos de idade e não ter deficiências físicas ou psicológicas diagnosticadas”.

    A petição diz que em nenhum momento os Tuohys disseram a ele que teriam “controle final de todos os seus contratos” e Oher “foi falsamente avisado pelos Tuohys” de que a “adoção” teria que ser chamada de tutela, já que ele tinha mais de 18 anos.

    A petição diz: “Os Tuohys se representaram falsa e publicamente como os pais adotivos de Michael, continuando até a data de apresentação desta petição”.

    Por volta de setembro de 2006, os Tuohys negociaram contratos para o filme “Um Sonho Possível”, baseado na biografia de Oher, para eles e seus outros dois filhos receberem US$ 225 mil, mais 2,5% de receitas futuras. O filme arrecadou mais de US$ 330 milhões, de acordo com a petição.

    Existe outro contrato de abril de 2007 que foi “supostamente assinado por Michael Oher”, no qual Oher entrega seu nome, imagem, voz etc. ao estúdio de cinema “sem qualquer pagamento”, afirma a petição.

    Oher acha que a assinatura no contrato se parece com a dele, mas ele não tem certeza se foi falsificado porque ele disse “em nenhum momento, voluntariamente ou conscientemente”, ele assinou um documento que explicava que estaria cedendo os direitos sobre seu nome e imagem.

    A petição diz: “Desde pelo menos agosto de 2004, os tutores permitiram que Michael, especificamente, e o público, em geral, acreditassem que os conservadores adotaram Michael e usaram essa mentira para obter vantagens financeiras para si mesmos e para as fundações que possuem ou que eles controle do exercício. Todo o dinheiro feito dessa maneira deve, com toda a consciência e equidade, ser devolvido e pago a Michael Oher.”

    A petição pede aos Tuohys que forneçam uma prestação de contas juramentada do dinheiro pertencente a Oher, que deveria ter sido pago a ele.

    A história foi relatada pela primeira vez pela “ESPN”.

    A CNN também procurou Michael Oher e seu advogado, mas ainda não teve resposta.

    Em um comunicado divulgado à WATN-TV, Oher disse: “Estou desanimado com a revelação compartilhada no processo hoje. Esta é uma situação difícil para minha família e para mim. Quero pedir a todos que respeitem nossa privacidade neste momento. Por enquanto, deixarei que o processo fale por si e não farei mais comentários”.

    Partes da história de vida de Oher foram capturadas no livro de 2006 “The Blind Side: Evolution of the Game” de Michael Lewis e no filme adaptado de mesmo nome em 2009.

    Conforme relatado no livro, Oher nasceu na pobreza em Memphis e, com sua mãe lutando contra o vício, e pasosu por diversos lares provisóriso e escolas durante grande parte de sua infância. Ele tinha uma rara combinação de tamanho e capacidade atlética e se tornou uma estrela da linha ofensiva do time de futebol da escola particular Briarcrest, ganhando uma bolsa de estudos para estudar na Universidade do Mississippi, a alma mater dos Tuohys.

    O Baltimore Ravens selecionou Oher com a 23ª escolha da 1ª rodada do Draft da NFL de 2009 e o atacante de 1,80m e 140 kg causou um impacto imediato, pois foi segundo colocado na eleição de Novato do Ano.

    Ele jogou o tackle esquerdo e direito em Baltimore por cinco temporadas, ajudando-os a vencer o Super Bowl em 2013. Ao longo de sua carreira na NFL, ele começou 110 jogos em oito temporadas com Baltimore, Tennessee Titans e Carolina Panthers.

    Oher ganhou mais de US$ 34 milhões durante sua carreira na NFL, de acordo com o Spotrac, um site que rastreia contratos esportivos.

    Sandra Bullock ganhou o prêmio de melhor atriz por sua atuação como Leigh Anne Tuohy no Oscar de 2010.


    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original