Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Flamengo vive três casos de agressões com socos em menos de dois meses; relembre

    Marcos Braz protagonizou terceiro episódio de violência física envolvendo algum profissional rubro-negro neste semestre

    Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo
    Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo Gilvan de Souza / Flamengo

    CNN

    Nesta terça-feira (19), o vice-presidente de futebol do Flamengo Marcos Braz foi flagrado trocando socos e chutes com um torcedor em um shopping no Rio de Janeiro. Segundo o jornalista Venê Casagrande, o homem agredido afirmou que também levou uma mordida do dirigente.

    Ainda de acordo com Venê, Braz explicou que estava no shopping com a filha quando foi agredido verbalmente pelo homem.

    Episódios de violência física têm sido comuns no time da Gávea. Este foi o terceiro caso em um período de menos de dois meses. No dia 29 de julho, Pablo Fernández, ex-preparador do Rubro-Negro e indicado por Jorge Sampaoli, deu um soco no atacante Pedro. O clube o demitiu no dia seguinte.

    Duas semanas depois, no dia 15 de agosto, Gerson e Varela trocaram agressões no treino. O clube se manifestou e emitiu uma nota em que classificava o caso como um “entrevero”. Nenhum dos atletas foi punido.

    Pedro x preparador físico do Flamengo

    Após a vitória sobre o Atlético-MG no dia 29 de julho, no Independência, em Belo Horizonte, pelo Campeonato Brasileiro, Fernández não teria gostado de ver o atacante sentado no banco enquanto os reservas realizavam aquecimento. O atleta não entrou em campo naquela partida.

    No vestiário, Fernández supostamente fez uma cobrança mais ríspida ao jogador e deu um soco em Pedro, que publicou sobre o caso nas redes sociais.

    “Covardemente, sem motivo e inexplicavelmente, fui agredido, com um soco no rosto, por Pablo Fernández, membro da comissão técnica do Sampaoli. A covardia física se sobrepôs diante da covardia psicológica que tenho sofrido nas últimas semanas”, disse o centroavante no Instagram.

    A Polícia Civil de Minas Gerais informou que os envolvidos foram encaminhados e ouvidos por meio da Central Estadual do Plantão Digital .Pedro foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para o exame de corpo de delito e foram constatadas lesões leves no rosto e na boca. Pablo assumiu o compromisso de comparecer à audiência no Juizado Especial Criminal e foi liberado.

    No dia seguinte à agressão, Pedro não foi treinar e foi suspenso pela diretoria rubro-negra por uma partida. O atleta ficou fora do jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores contra o Olimpia, no Maracanã. O Flamengo venceu os paraguaios por 1 a 0.

    A audiência foi no dia 29 de agosto, e os dois entraram em um acordo. De acordo com a assessoria de comunicação do Fórum Lafayette, Fernandez “reconheceu que teve uma reação exagerada e pediu desculpas ao atleta”, o que disse já ter feito publicamente, mas não pessoalmente.

    Pedro, por sua vez, disse já ter perdoado o profissional e, diante do pedido de desculpas pessoais, ele “manifestou o desinteresse de continuar com a ação penal por lesão corporal leve”.

    Gerson x Varela 

    No dia 15 de agosto, na parte final do treino no Ninho do Urubu, Gerson e Varela discutiram e trocaram socos. A discussão teve início após Gerson cometer uma falta em Varela, que não gostou da entrada do colega.

    O volante acabou acertando o rosto do lateral uruguaio antes de serem separados por companheiros. O treino foi encerrado logo após a briga. No mesmo dia, o clube emitiu uma nota sobre o caso.

    “O Clube de Regatas do Flamengo informa que o entrevero entre os atletas Gerson e Varela foi resolvido internamente pelo departamento de futebol. Os jogadores entendem que o episódio faz parte de um treino disputado. A preparação para o jogo de amanhã segue normalmente”.

    Marcos Braz x torcedor

    Segundo o jornalista Venê Casagrande, Marcos Braz afirmou que estava no shopping com a filha comprando um presente para ela quando um torcedor começou a agredir o dirigente verbalmente.

    No vídeo, é possível ver o cartola dando chutes e pontapés em um homem. Ao Venê Casagrande, o torcedor agredido afirmou que “só gritou para ele sair do Flamengo. Virei de costas e fui andando. Quando eu vi, ele correu atrás de mim. Ele e o segurança dele me agrediram. E ele me mordeu também”, alegou o torcedor.

    O Flamengo ainda não se pronunciou oficialmente sobre o ocorrido.

    (Pulicado por Beatriz Consolin)


    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas