Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Atlético-MG vence em Goiânia e ganha a segunda consecutiva longe de BH

    Keno e Hulk, um em cada tempo, marcaram os gols da partida no Antonio Accioly

    Hulk comemora o segundo gol do Atlético-MG na vitória contra o Atlético-GO
    Hulk comemora o segundo gol do Atlético-MG na vitória contra o Atlético-GO Clube Atlético Mineiro

    Leandro Silveiracolaboração para a CNN

    O Atlético-MG deu um passo para superar a má fase neste domingo, voltando a dar uma demonstração de força longe de Belo Horizonte. Em Goiânia, superou o Atlético-GO por 2 a 0, no Estádio Antonio Accioly, em partida válida pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Keno, no primeiro tempo, e Hulk, no segundo, marcaram os gols da partida.

    Ainda que bastante irregular na temporada, tanto que este foi apenas o segundo triunfo nos últimos dez compromissos por diferentes competições, o Atlético-MG conseguiu ganhar pela segunda vez consecutiva longe de Belo Horizonte –antes, havia derrotado o Coritiba. E se consolidou em sétimo lugar no Brasileirão, com 39 pontos, na briga por uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores, numa rodada em que só um –o Athletico-PR– dos seis times que estão à sua frente na classificação venceu.

    Já o Atlético-GO, que briga para ir à final da Copa Sul-Americana, piorou a sua condição no Brasileirão, no qual tropeçou em seus últimos quatro compromissos. Está em 19º lugar, na zona de rebaixamento, com 22 pontos. E até o bom momento como mandante chegou ao fim, pois acumulava cinco vitórias e um empate nos seis compromissos anteriores em casa, por diferentes torneios.

    Clique aqui e confira a tabela completa do Brasileirão 2022.

    O duelo deste domingo repetiu o placar do confronto anterior entre os clubes, no primeiro turno do Brasileirão, no Independência. E assim como naquela partida, Hulk marcou o segundo gol do Galo, agora chegando ao nove na competição. Antes, Keno havia aberto o placar em Goiânia, sendo decisivo para o triunfo, pois até então os times faziam um jogo fraco.

    Como foi o jogo

    Para o confronto no Antonio Accioly, a principal novidade na escalação do Atlético-MG foi a reestreia do zagueiro Jemerson, vendido pelo clube em 2016, ao Monaco. Ele teve seu retorno ao clube anunciado em junho, mas ainda não havia recebido uma chance. E ela surgiu com a suspensão de Junior Alonso e a decisão de Cuca escalar Rever como volante, pois Allan e Otávio também foram desfalques, o que abriu espaço para o retorno de Nathan Silva ao sistema defensivo. Além disso, o treinador optou por mudar o ataque. Assim, sacou Ademir e Pavón para as entradas de Keno e Eduardo Sasha.

    No Atlético-GO, embora o time esteja envolvido na disputa das semifinais da Sul-Americana, o técnico Eduardo Baptista, preocupado com o risco de rebaixamento no Brasileirão, optou por usar praticamente a força máxima. Assim, só poupou Jorginho e Wellington Rato, dando uma oportunidade a Shaylon no setor ofensivo. E ainda teve os retornos de William Maranhão e Luiz Fernando.

    Porém, os times fizeram um primeiro tempo fraco. O Atlético-MG até teve mais posse de bola, mas apresentou problemas na criação. Isso tornou o duelo equilibrado, o que se viu nas finalizações –foram 5 para cada lado. E os lances mais perigosos nem deram trabalho aos goleiros, pois Churín chegou atrasado para completar cruzamento na cara do gol de Marlon Freitas, aos 12 minutos, enquanto Zaracho furou ao receber ótimo passe de Sasha, na grande área, aos 19.

    Assim, tudo indicava que o duelo iria ao intervalo sem gols. Mas aí apareceu a individualidade de Keno. Aos 49 minutos, o atacante evitou a saída da bola pela lateral, foi para cima dos marcadores, passou por dois e bateu colocado, com a bola entrando no cantinho esquerdo da meta de Renan: 1 a 0 Galo.

    Em desvantagem, o Atlético-GO voltou para o segundo tempo com duas novidades, ambas pelo lado esquerdo: o lateral Arthur Henrique e o atacante Léo Pereira. Mas quem dominou o duelo foi o Galo. Encontrando espaços e mais compacto, quase marcou com Hulk, aos 3 minutos, com a finalização parando em defesa de Renan. E marcou aos 12, com seu artilheiro. No lance, Sasha cruzou rasteiro para Hulk, que só precisou escorar a bola para as redes: 2 a 0.

    O Atlético-GO, então, acionou Jorginho e Wellington Rato, titulares que estavam no banco. Mas não conseguiu nem dar trabalho a Everson, que viu Cuca rodar o elenco do Galo, acionando Ademir, Rubens, Nacho Fernández, Calebe e Vargas, que não era relacionado desde a eliminação da equipe nas quartas de final da Libertadores, quando foi expulso nos minutos finais do duelo com o Palmeiras.

    Logo na primeira jogada ofensiva com a sua participação, o Atlético-MG teve um gol anulado por impedimento. E o time seguiu com o duelo sob controle, com o Atlético-GO só tendo uma chance, aos 39 minutos, em cabeceio perigoso de Wanderson, com a bola passando perto da meta do Galo.

    Agenda

    Os times voltarão a jogar no próximo meio de semana. Na quarta-feira (7), o Atlético-MG vai abrir a 26ª rodada do Brasileirão diante do Red Bull Bragantino, no Mineirão. No dia seguinte, o Atlético-GO visitará o São Paulo, no Morumbi, para o duelo de volta das semifinais da Sul-Americana. A equipe goiana está em vantagem após triunfar no Serra Dourada por 3 a 1.