Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Endrick denuncia racismo contra familiares após Venezuela x Brasil

    Torcedor faz gestos racistas em direção a Douglas Ramos, pai de Endrick; atacante apagou a publicação pouco tempo depois

    Endrick em campo na partida entre Brasil e Venezuela pelo Pré-Olímpico
    Endrick em campo na partida entre Brasil e Venezuela pelo Pré-Olímpico Joilson Marconne/CBF

    Marcel Rizzoda Itatiaia

    O atacante Endrick divulgou um vídeo em sua conta em uma rede social mostrando o momento em que um torcedor com a camisa da Venezuela imita um macaco em direção a seu pai, Douglas Ramos.

    O ato racista ocorreu nesta quinta-feira, no estádio Brígido Iriarte, em Caracas, onde a Seleção Brasileira Sub-23 venceu a Venezuela por 2 a 1, pelo quadrangular final do Torneio Pré-Olímpico.

    Nas imagens, o homem aparece imitando um macaco, gesticulando muito e falando. Ele também atira um objeto em direção aos brasileiros. O pai de Endrick viajou junto de integrantes da Roc Nation Sports, a agência que controla a carreira de Endrick.

    “Desculpa pai, por esse momento. Desculpa padrinho, por esse momento. Infelizmente aconteceu com minha família e amigos, mas Deus sabe de todas essas coisas”, escreveu Endrick.

    Pouco tempo depois, o atacante apagou a publicação, na qual também tinha marcado o arroba da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). A entidade ainda não se manifestou sobre o ocorrido.

    A CBF emitiu uma nota de repúdio sobre o ocorrido. Veja:

    A CBF repudia os atos de racismo cometidos contra familiares do jogador Endrick ocorridos na noite dessa quinta-feira no Estádio Brígido Iriarte, em Caracas, durante e após o jogo em que a Seleção Brasileira Pré-Olímpica venceu a Venezuela por 2 a 1. As manifestações de criminosos com camisas da seleção adversária eram dirigidas notadamente ao pai de Endrick, Douglas Ramos. Eles faziam gestos imitando macacos. Tão logo informado sobre o episódio, o chefe da delegação da Seleção Brasileira na Venezuela, Daniel Vasconcelos, em nome do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, se solidarizou com o atleta e seus familiares. A CBF foi a primeira entidade nacional de futebol do mundo a adotar no Regulamento Geral de Competições a possibilidade de punir esportivamente um clube em caso de racismo. A novidade foi incluída no RGC de 2023. Desde 2022, a CBF faz uma série de campanhas de combate ao racismo no futebol. E conta com um Grupo de Trabalho que discute de forma permanente o assunto.

    Assistência na vitória

    Endrick participou dos dois gols da vitória do Brasil sobre a Venezuela por 2 a 1, na noite desta quinta-feira. O resultado colocou a Seleção Brasileira Sub-23 na vice-liderança do quadrangular final do Torneio Pré-Olímpico, com três pontos, atrás do Paraguai, com quatro, mas à frente de Argentina, com dois, e Venezuela, com um.

    Somente os dois primeiros se classificam para os Jogos Olímpicos de Paris, no meio de 2024. Portanto uma vitória contra a Argentina, no domingo (11), garante a vaga olímpica com tranquilidade. A Conmebol ainda divulgará o horário da partida.

    O empate também pode bastar, mas aí dependeria se a Venezuela bater o Paraguai, o que ocasionaria um empate triplo com times com quatro pontos. Se perder dos argentinos o Brasil estará fora.


    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original