Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Leila detona WTorre e comenta valores de ingressos no Palmeiras: “Não acho caro”

    Presidente do clube afirmou que não recebeu nenhum pagamento da empresa e que preços dos ingressos dos jogos são populares

    Leila Pereira, presidente do Palmeiras, em entrevista coletiva
    Leila Pereira, presidente do Palmeiras, em entrevista coletiva Cesar Greco/Palmeiras

    Beatriz Consolinda Itatiaia

    Nesta terça-feira (16), Leila Pereira, presidente do Palmeiras, deu uma entrevista coletiva somente para jornalistas mulheres. A dirigente falou que não acha que os preços dos ingressos dos jogos no Allianz Parque sejam altos.

    Único programa de sócio-torcedor que disponibiliza 100% de desconto no ingresso é o do Palmeiras. O plano Avanti Ouro está em torno dos R$ 145. Se o Palmeiras jogar três vezes no mês, isso dá uns 40, 45 reais. Vamos lá, 50 reais, não acho caro, dependendo do jogo, os valores são menores ou maiores

    Leila Pereira

    “O nosso programa não é ajustado há 6 anos. Não concordo quando dizem que os ingressos não são populares, são sim. Podemos fazer em um jogo comemorativo, mas em todos não consigo, temos que ter receita. Mas não acho que os valores são exorbitantes”, completou.

    Futebol é elitizado, diz Leila

    A dirigente disse ainda que o futebol é elitizado.

    “O futebol, apesar de popular, é elitizado a partir do momento que precisa de investimentos altíssimos para um time ser campeão. Hoje não se conversa por um jogador médio por menos de 5 milhões de euros/dólares. Existem clubes que se dizem populares com rendas de R$ 20, 22 milhões. Esses valores precisam sair de algum lugar”, completou.

    Embate com a WTorre

    Leila ainda voltou a criticar a WTorre, empresa que faz a gestão do Allianz Parque, e disse que o clube ainda não recebeu o pagamento.

    “Palmeiras tem problemas com a Wtorre e não posso abrir por causa da cláusula de confidencialidade. Posso dizer que é uma receita que seria muito importante para o Palmeiras, que há anos não recebe um centavo dessa concessão que demos à Wtorre”, disse.

    “A gente não recebeu nada. A imprensa poderia ficar atenta a isso. É uma empresa que está fechando com São Paulo, Maracanã, Santos e não paga um centavo para o Palmeiras, e não podemos abrir o que realmente acontece por causa da cláusula de confidencialidade”, completou.


    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas