Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Seleção Brasileira dispensa testes de Covid-19 mesmo com casos de virose

    Equipe médica da seleção atribuiu casos de virose ao contraste entre os climas em Turim e em Doha

    Marcio DolzanRicardo Magattido Estadão Conteúdo

    A equipe médica da Seleção Brasileira na Copa do Mundo no Catar avaliou que, mesmo com Neymar, Antony e Lucas Paquetá apresentando sintomas gripais, não se fazia necessário testar os jogadores para a Covid-19.

    “Não passou nem perto essa questão de fazer teste de Covid”, disse o coordenador da Seleção Brasileira, Juninho Paulista.

    “Tivemos alguns casos, como o Antony, de virose, alguma coisa nesse sentido. Nada que pudesse influenciar na participação deles, tanto que o Antony entrou (contra a Suíça) e entrou bem”, afirmou o auxiliar César Sampaio.

    Na avaliação dos médicos, os quadros de gripe são resultado do clima no Catar, que é seco e quente, e não de um surto de Covid-19.

    A capital Doha apresenta altas temperaturas, mesmo no outono, e os atletas tiveram dificuldade na adaptação, uma vez que, antes de chegar ao país-sede da Copa do Mundo, passaram cinco dias treinando em Turim, na Itália, cujos termômetros marcaram temperatura inferior a 10 graus e umidade superior a 90%.

    “A saúde do atleta é fundamental pra que ele possa ter um bom desempenho, ainda mais aqui. É um país diferente, o clima influencia do primeiro para o segundo tempo. Eles baixam muito o nível de intensidade, o jogo fica mais monótono”, avaliou Sampaio.

    Em recuperação de lesão no tornozelo direito há quatro dias, Neymar sentiu uma indisposição na tarde de segunda-feira (28), quando, sem ele, a seleção derrotou a Suíça e garantiu vaga de forma antecipada às oitavas de final da Copa do Mundo do Catar. Vinicius Junior revelou que o camisa 10 teve febre.

    O caso não preocupa, garantiu a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Neymar permaneceu no hotel para dar sequência ao tratamento da lesão ligamentar em seu tornozelo direito que o tirou da partida diante dos suíços e assistiu da sala de lá à seleção vencer por 1 a 0.

    Antony perdeu dois treinamentos devido a um mal-estar e apresentou sintomas gripais, assim como Lucas Paquetá, que permaneceu no hotel no dia seguinte à vitória sobre a Sérvia.

    O protocolo da Federação Internacionl de Futebol (Fifa) não exige exame de Covid-19 nem o uso de máscaras, acessório pouco usado em Doha.

    A comissão técnica não se preocupa porque tanto Paquetá como Antony treinaram posteriormente e participaram da partida contra a Suíça. O meio-campista foi titular e saiu no intervalo. O atacante entrou na etapa final.

    Como a seleção já está classificada e, para ser a primeira colocada do grupo, joga por um empate diante de Camarões na última rodada da fase de grupos, sexta-feira (2), no Lusail Stadium, Tite vai preservar seus principais jogadores e escalar uma equipe alternativa.

    “Não vamos correr o risco de perder o jogador por não estar bem fisicamente ou por lesão”, reiterou Sampaio.