Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Após fala machista sobre VAR, Ramón Díaz, do Vasco, se desculpa; veja

    Técnico dá declaração polêmica após derrota para o Bragantino, nesta quarta (17), pelo Campeonato Brasileiro

    Ramón Díaz, técnico do Vasco, na derrota para o Red Bull Bragantino
    Ramón Díaz, técnico do Vasco, na derrota para o Red Bull Bragantino ANDERSON LIRA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Matheus Dantasda Itatiaia

    Após a derrota do Vasco para o Red Bull Bragantino, nesta quarta (17), o técnico Ramón Díaz atacou Daiane Muniz, que atuou como árbitra de vídeo na partida contra o Grêmio, no domingo (14). O argentino afirmou ser “lamentável” ter uma mulher na posição.

    Pouco depois, o treinador se desculpou publicamente pela fala e disse que “não era a intenção”. Veja nos vídeos abaixo:

    Leia o que Ramón Díaz falou

    Com respeito aos árbitros, não podemos falar muito. Na última partida, o VAR foi uma senhorita, uma mulher, e foi pênalti. Me parece complicado que no VAR quem tenha que decidir seja uma mulher. Porque o futebol é tão dinâmico, com ações tão rápidas. Hoje não sei se o árbitro também não viu o lance, que me pareceu pênalti. O Vasco está crescendo, competimos

    Ramón Díaz, técnico do Vasco

    Vale destacar que na partida entre Bragantino e Vasco, em Bragança Paulista, Fernanda Kruger (Fifa-MT) e Charly Wendy Straub Deretti (Fifa-SC) atuaram como assistente de campo e árbitra de vídeo, respectivamente.

    Ainda no Estádio Nabi Abi Chedid, Ramón Díaz voltou a falar com a imprensa e pediu desculpas e afirmou ter sido mal interpretado.

    “Se se interpretou algo mal da minha declaração, quero pedir desculpas. O que quis dizer é que uma pessoa só não pode decidir, ter uma decisão tão importante, como é no futebol e que é a participação do VAR nas decisões. Se se interpretou mal, peço desculpas”, afirmou o técnico.

    Entenda o caso

    A reclamação do Vasco no jogo contra o Grêmio – vencido por 2 a 1 em São Januário – foi por um pênalti não marcado, o qual Daiane Muniz, responsável pelo VAR no jogo, inicialmente considerou que houve pênalti, mas voltou atrás e não recomendou a revisão, conforme é possível ouvir nos áudios divulgados pela CBF.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original