Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Vasco: 777 Partners reclama de “temerária intervenção” de Pedrinho

    Em nota, empresa norte-americana subiu o tom nas críticas ao presidente do cruzmaltino

    O ex-jogador Pedrinho é o atual presidente do Vasco
    O ex-jogador Pedrinho é o atual presidente do Vasco Itatiaia

    Da CNN

    Em mais um capítulo do momento turbulento vivido pelo Vasco, a 777 Partners soltou uma nota, nesta quinta-feira (13), atacando Pedrinho, atual presidente do Vasco, e expressando descontentamento com as saídas do CEO Lúcio Barbosa e da CFO Kátia dos Santos.

    Ainda no comunicado, a empresa norte-americana confirma que segue tentando reverter na Justiça a liminar que suspendeu os efeitos do contrato de venda da SAF do Vasco, e lembra que “já aportou mais de R$ 310 milhões na companhia e está em dia com todas as suas obrigações”.

    Entenda o imbróglio no Vasco

    A 777 está afastada do comando do clube desde maio, após decisão da Justiça. O pedido foi feito pela Associação Vasco da Gama, grupo comandado pelo ex-jogador Pedrinho, que alegou abuso, artimanhas financeiras e ocultação de “informações vitais”

    Em nota divulgada, a 777 Partners revelou que a liminar impediu a antecipação de valores e fez questão de lembrar que este é o primeiro atraso desde que chegou no cruzmaltino, há pouco mais de um ano.

    Na última terça-feira (11), o CEO Lúcio Barbosa e a CFO Kátia dos Santos entregaram seus cargos na SAF do cruzmaltino. O presidente Pedrinho se mostrou incomodado com a decisão da dupla e falou em decisão pessoal.

    “Para estar no Vasco, tem que querer estar no Vasco. Na minha gestão só vai estar no Vasco quem quer viver o Vasco na sua essência”, declarou o presidente, em evento realizado no ginásio vascaíno.

    Veja a nota oficial da 777

    A 777 Partners vem a público expressar seu mais veemente repúdio à temerária intervenção do presidente do clube associativo na administração profissional da Vasco da Gama SAF, que culminou com as saídas do CEO Lúcio Barbosa e da CFO Kátia dos Santos.

    Quando o próprio presidente do clube associativo encampa o comando do futebol da companhia, quebrando as mais básicas regras de governança corporativa, ele compromete irremediavelmente a capacidade de atuação dos administradores profissionais.

    Ao romper o regramento estatutário da empresa, e, consequentemente, comprometer seus controles internos e processos de integridade, o presidente do clube associativo obrigatoriamente assume responsabilidade pelas consequências desse descalabro e pelos possíveis prejuízos que venham a ser causados à empresa, seus colaboradores e seus sócios.

    A 777 Partners informa ainda que segue lutando para reverter a absurda decisão que cassou os direitos do sócio majoritário na Vasco SAF, que já aportou mais de R$ 310 milhões na companhia e está em dia com todas as suas obrigações. Temos plena confiança de que a justiça brasileira não validará a tentativa de expropriação de capital externo de investidores internacionais que confiaram no Brasil.

    Aproveitamos para reafirmar aos vascaínos que estamos prontos para seguir investindo e honrando nossas obrigações para com a Vasco SAF tão logo este triste episódio seja superado.

    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas