Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Messi critica PSG, fala em aumentar família e diz que Copa de 2026 está distante

    Camisa 10 do Inter Miami concedeu entrevista exclusiva a um programa argentino; veja os destaques

    Lionel Messi do PSG durante a partida do grupo H da UEFA Champions League entre SL Benfica e Paris Saint-Germain (PSG) no Estádio do Sport Lisboa e Benfica, também conhecido como Estádio da Luz, em 5 de outubro de 2022 em Lisboa, Portugal.
    Lionel Messi do PSG durante a partida do grupo H da UEFA Champions League entre SL Benfica e Paris Saint-Germain (PSG) no Estádio do Sport Lisboa e Benfica, também conhecido como Estádio da Luz, em 5 de outubro de 2022 em Lisboa, Portugal. Jean Catuffe/Getty Images

    Da CNN

    Lionel Messi está feliz em Miami, e essa felicidade ficou escancarada em uma entrevista que foi ao ar nesta quinta-feira (21), no canal Olga, do YouTube, conduzida pelo apresentador e humorista argentino Miguel Granados.

    Em um papo descontraído, o craque do Inter Miami falou sobre diversos assuntos, mas também não deixou de tocar em temas importantes como, por exemplo, sua passagem pelo Paris Saint-Germain, seu último clube antes de decidir se mudar para o futebol dos Estados Unidos.

    “A experiência não foi a que eu esperava, mas tive a sorte de ser campeão do mundo ali. Fui o único campeão mundial que não teve uma recepção por parte de seu clube, mas tudo bem. São coisas que acontecem”, disse Messi.

    Após deixar o Barcelona, o jogador disputou duas temporadas com a camisa do Paris Saint-Germain e conquistou dois títulos da liga francesa. Contudo, nunca foi capaz de cair nas graças do torcedor parisiense.

    O argentino também comentou sobre a possibilidade de estar na Copa do Mundo de 2026, que será disputada nos EUA, México e Canadá. Segundo o capitão da Albiceleste, é preciso pensar em objetivos mais curtos com a seleção.

    “Hoje eu vejo [a Copa] como algo distante. O que tenho como objetivo, sim, é jogar a Copa América, que será aqui nos Estados Unidos no ano que vem. Vai depender de como vou estar, como me sentirei até lá”, afirmou.

    Confira outros destaques da entrevista de Messi

    A vida em Miami

    “Acordamos às 7h, preparo o café da manhã dos meninos e levamos eles para a escola. Depois vou cedo para o treino porque faz muito calor aqui em Miami. Chego no mesmo horário que todos porque ninguém é rei. Há multas [para atraso] e, além disso, existe um compromisso com os companheiros. Volto para casa ao meio-dia, almoço com Anto [Antonela Roccuzzo, sua esposa], damos um cochilo e à tarde vamos buscar as crianças na escola.”

    A paternidade

    “Creio ser um bom pai. Estou tentando passar para os meus filhos os valores que foram passados para mim”, disse Messi, que também comentou sobre seu filho mais velho, Thiago, ter consciência das facilidades econômicas da família.

    “Fomos muito claros com Thiago sobre isso, e ele entendeu perfeitamente e passa isso para os seus irmãos”, afirmou o camisa 10, que também revelou o desejo de ter uma filha — além de Thiago, Messi também é pai de Mateo e Ciro.

    O futuro depois do título mundial

    “Eu precisava de uma mudança de ares. Continuo gostando de jogar bola, mas queria desfrutar. Gosto de competir. Me preparo como sempre, mas há uma realidade: estou mais velho e com mais de mil jogos nas costas.”

    Pensa em aposentadoria?

    “Nunca pensei e não quero pensar. Quero continuar desfrutando. Foi uma decisão importante deixar a Europa. Tenho a sorte de poder me dedicar a algo que me encanta. Ainda que eu tenha responsabilidades e objetivos, não deixa de ser uma coisa que gosto de fazer desde pequeno. Mas não sei como vai ser o dia seguinte. Quero seguir ligado ao futebol, como diretor esportivo ou algo do tipo.”

    Voltar ao Newell’s e jogar na Argentina

    “Sempre tive essa ideia de jogar na Argentina, ainda mais depois de ser campeão [do mundo]. Tinha o desejo de jogar no Newell’s. Não sei se o Fideo [apelido de Ángel Di María] voltará para jogar no Rosario Central algum dia. O meu caso é mais complicado.”

    Onde ficam os troféus e prêmios

    “A medalha do Mundial e todos os troféus, Bolas de Ouro, estão no meu museu, em Barcelona. É um reconhecimento lindo, mas tive a sorte de ganhar tudo: Champions, ligas, Copa América, Copa do Mundo. Isso é o importante. Os prêmios individuais são lindos, mas importantes mesmo são os outros.”

    (Publicado por Bruno Rodrigues)

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas