Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Novas ligas: clubes da Libra têm quase seis vezes mais torcida que os da LFF

    Empurrada por Flamengo e Corinthians, Liga do Futebol Brasileiro junta 77% dos torcedores do país, mostra Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest

    Corinthians é um dos gigantes nacionais que fazem parte da Libra
    Corinthians é um dos gigantes nacionais que fazem parte da Libra Alexandre Schneider/Getty Images

    Alexandre Simõesda Itatiaia

    Os clubes vinculados à Liga do Futebol Brasileiro (Libra) têm muito mais representatividade em número de torcedores (77%) do que aqueles vinculados à Liga Forte Futebol do Brasil (LFF), com 14%. É o que mostra a Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest, que começou a ser divulgada nesta segunda-feira (10).

    Os dados de “O Maior Raio-X do Torcedor” saem num momento em que o futebol brasileiro vive a discussão da transformação das Séries A e B do Campeonato Brasileiro numa liga, com os dois grupos de clubes apresentando propostas diferentes.

    Apesar de a LFF contar com 26 integrantes, apenas oito, o que corresponde a 31%, integram o ranking das 22 maiores torcidas do Brasil. Somando o percentual de torcedores de Atlético (5%), Internacional (2%), Sport (2%), Athletico-PR (1%), Ceará (1%), Coritiba (1%), Fluminense (1%) e Fortaleza (1%), chega-se a 14%.

    Este número de 14% da torcida nacional é inferior ao total dos dois clubes que lideram em massa de torcedores e integram a Libra. Só o Flamengo tem quase o dobro, com 24%, e o Corinthians é o segundo colocado, com 18%.

    Libra tem nove dos 12 clubes mais populares

    No total, dos 18 integrantes da Libra, dez (56%) integram o ranking das maiores torcidas brasileiras segundo a Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest. Estão no grupo nove dos 12 clubes mais populares do país.

    Além de Flamengo (24%) e Corinthians (18%), estão na Libra — e fazem parte da lista das 22 maiores torcidas do Brasil — Palmeiras (9%), São Paulo (8%), Cruzeiro (5%), Vasco (4%), Grêmio (3%), Santos (3%), Bahia (2%) e Botafogo (1%).

    Os dois grupos divergem na forma de divisão do dinheiro da televisão, de receitas comerciais futuras e também de uma cláusula de proteção de receita a Flamengo e Corinthians nos primeiros anos de operação da liga.

    Metodologia

    A Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest fez 6.507 entrevistas com torcedores de 16 anos ou mais em 325 cidades brasileiras, no período entre 29 de março e 2 de abril de 2023. A margem de erro máxima é de 1,4 ponto percentual para mais ou para menos. O nível de confiabilidade é de 95%.