Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Por que Ítalo Ferreira, ouro em Tóquio, não vai para Paris 2024?

    Brasil terá três representantes no surfe masculino, mas o atual campeão olímpico não conseguiu classificação

    ìtalo Ferreira foi medalhista de ouro em Tóquio
    ìtalo Ferreira foi medalhista de ouro em Tóquio COB

    Hugo Lobãoda Itatiaia

    Medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Ítalo Ferreira não terá a chance de defender o título em Paris 2024. Os representantes do Brasil no surfe masculino serão João Chianca, o Chumbinho, Filipe Toledo e Gabriel Medina.

    Os dois primeiros conseguiram a vaga através da classificação da Liga Mundial de Surfe (WSL) de 2023. Filipinho foi campeão e Chumbinho também foi ao Finals, que reúne os cinco melhores colocados da temporada.

     

     

    Gabriel Medina garantiu a classificação através do Isa Games. Ele foi o campeão do evento e contribuiu para o que o Brasil tivesse a melhor campanha na disputa por equipes, o que rendeu a vaga para o país.

    Ítalo Ferreira, que sofreu com lesões nos últimos anos, não conseguiu a vaga via WSL e também não participou do Isa Games. Neste momento, o campeão mundial de 2019 está no Rio Grande do Sul auxiliando no resgate de vítimas das chuvas

    Surfe Feminino

    O Brasil também terá três representantes no surfe feminino. Tatiana Weston-Webb, Luana Silva e Tainá Hinckel estão classificadas para os Jogos Olímpicos de Paris.

    Palco do surfe

    Os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024, já têm uma curiosidade histórica antes mesmo de começar. A sede do surfe será a mais distante da cidade que recebe o evento na história de todas as Olimpíadas.

    O Taiti, uma das ilhas que faz parte da Polinésia Francesa fica a mais de 15.600 quilômetros de Paris, mais distância já registrada. As ondas do território ultramarino da França, mais especificamente de Teahupoo, são umas das mais famosas e desafiadoras do mundo.

    Apesar de algumas polêmicas, a organização preferiu realizar a modalidade a Polinésia Francesa para valorizar a onda histórica do local e também o território que faz parte do poder francês.

    A escolha do Taiti como sede do surfe nos Jogos Olímpicos de Paris foi aprovada em 2020. A praia de Teahupoo sedia anualmente uma das etapas da Liga Mundial de Surfe (WSL) e, apesar de desafiadora e perigosa, é uma das preferidas dos atletas de elite.

    Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original