Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Filipe Toledo e João Chianca revelam expectativa para finais do Mundial de Surfe

    Brasileiros perseguem o sétimo título do país no circuito, e Filipinho vai em busca do bicampeonato

    Filipe Toledo é o atual campeão mundial de surfe e busca o bicampeonato
    Filipe Toledo é o atual campeão mundial de surfe e busca o bicampeonato Ryan Pierse/Getty Images

    Da CNN

    A geração brasileira de surfistas profissionais impressiona o mundo há mais de uma década. Depois da temporada de 2011, nasceu o termo Brazilian Storm (“Tempestade Brasileira”, em inglês), que sintetiza a importância dos atletas do país no cenário mundial do surfe.

    Em 2014, Gabriel Medina venceu o primeiro título mundial do Brasil, e repetiu o feito em 2018 e 2021. Em 2015 foi a vez de Adriano de Souza, o Mineirinho, se tornar o melhor surfista do mundo. Já em 2019, Ítalo Ferreira se sagrou campeão — e também se tornou o primeiro medalhista de ouro olímpico da história do surfe, com medalha conquistada nas Olimpíadas de Tóquio.

    No ano passado, a temporada teve uma final brasileira: Ítalo Ferreira contra Filipe Toledo. Em uma disputa de melhor de três, Filipinho venceu as duas primeiras baterias e ficou com o título mundial, o primeiro de sua carreira.

    Agora, mais uma vez, dois brasileiros brigam pelo título nas finais do Mundial de Surfe, que serão disputadas na Califórnia, nos Estados Unidos, a partir desta sexta-feira (8). Além de Filipe Toledo e João Chianca, estão na decisão os australianos Jack Robinson e Ethan Ewing e o norte-americano Griffin Colapinto.

    Filipe Toledo e Ítalo Ferreira se cumprimentam após o final da Rip Curl WSL Finals 2022 / Foto: WSL / Pat Nolan

    João Chianca, o Chumbinho, foi o quarto colocado na temporada regular e já vai para a água na primeira bateria contra Jack Robinson. Em entrevista à CNN Brasil, ele analisou a rivalidade com o australiano, que, na sua opinião, deve ter uma pequena vantagem na decisão.

    “É sempre uma disputa bem acirrada. Temos um estilo de surfe bem parecido e acredito que vai ser uma bateria duríssima. O Jack Robinson já teve a experiência do top 5, provavelmente ele já tem uma vantagem de [saber] como chegar no evento. A final deste ano deve ser similar ao que ele viveu no ano passado”, disse o brasileiro.

    Mas, fora isso, estou me sentindo bem confiante, preparado e feliz. Estou fazendo de tudo para estar o mais descansado e pronto no grande dia

    João Chianca, 4º colocado no ranking mundial
    João Chianca, o Chumbinho, durante etapa da WSL no Taiti
    João Chianca, o Chumbinho, durante etapa da WSL no Taiti / Matt Dunbar/World Surf League via Getty Images

    Caso classifique, Chumbinho deve enfrentar o também australiano Ethan Ewing, que ainda é dúvida. O surfista de 24 anos fraturou duas vértebras enquanto treinava em Teahupo’o para uma etapa da WSL, mas embarcou para a Califórnia.

    Na terceira bateria, Chumbinho poderá ter pelo caminho o norte-americano Griffin Colapinto. Na final, Filipe Toledo, número 1 do ranking, estará esperando seu adversário.

    Chaveamento das Finals da WSL de 2023
    Chaveamento das finais da Liga Mundial de Surfe de 2023 / WSL

    Depois de se recuperar de uma lesão no joelho direito, Filipinho, que é favorito ao título, conquistou a vaga olímpica para o Brasil após alcançar as semifinais na etapa de J-Bay, na África do Sul, em julho.

    A etapa seguinte, última antes das finais, foi em Teahupo’o, no Taiti, na Polinésia Francesa. É lá que serão sediadas as provas do surfe nas Olimpíadas de 2024, por também ser território francês. As baterias de Teahupo’o são consideradas as mais difíceis do circuito mundial porque as ondas estouram em uma bancada de corais e, em caso de queda do atleta, pode haver uma lesão séria.

     Eu tentei minimizar os riscos no Taiti para chegar 100% nas finais

    Filipe Toledo, atual campeão mundial

    Em entrevista exclusiva à CNN Brasil, Filipe Toledo também falou sobre a recuperação de sua lesão, da expectativa para mais uma final da Liga Mundial e o que esperar dos Jogos Olímpicos no ano que vem.

    “As Olimpíadas serem no Taiti é algo surreal. Vai ser uma oportunidade incrível de representar meu país, minha família e meus amigos. E quem sabe ganhar uma medalha em uma onda que é tão desafiadora e exige tanto de todos os surfistas… Seria algo excepcional”, disse Filipinho, que admitiu ainda sentir um pouco de dores antes das finais.

    “Foram semanas de muita dedicação, eu não fazia nada além de treino e fisioterapia. O joelho vira e mexe eu sinto uma dorzinha, mas não é nada que me impeça de surfar. Estou me sentindo muito bem preparado”, completou.

    Além de Filipe Toledo, João Chianca também já está classificado para os Jogos Olímpicos de 2024.

    Veja as datas e onde assistir às finais da Liga Mundial de Surfe

    • Onde: Lower Trestles, Califórnia, nos Estados Unidos
    • Quando: de 8 a 16 de setembro
    • Onde assistir: SporTV (TV fechada) e WSL Oficial (YouTube)

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas