Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Tenista Ons Jabeur doará parte do prêmio do WTA para “ajudar os palestinos”

    A tunisiana fez a promessa após derrotar Markéta Vondroušová por 6-4 e 6-3 em Cancún, no México

    Tenista tunisiana desabafou sobre o conflito entre Israel e o Hamas.
    Tenista tunisiana desabafou sobre o conflito entre Israel e o Hamas. Sarah Stier/Getty Images

    Ben Churchda CNN

    Ons Jabeur, número 7 do mundo, disse que doaria parte do prêmio em dinheiro das finais do WTA para ajudar os palestinos, em um discurso emocionado nesta quarta-feira (2).

    A tunisiana fez a promessa durante uma entrevista em quadra depois de derrotar Markéta Vondroušová por 6-4 e 6-3 em Cancún, no México. “A situação no mundo não me deixa feliz”, disse Jabeur chorando enquanto falava para a multidão. “É muito duro ver crianças, bebês morrendo todos os dias. É de partir o coração, por isso decidi doar parte do meu prémio em dinheiro para ajudar os palestinos”, completou.

    “Apenas humanidade”

    “Não posso ficar feliz apenas com esta vitória, com o que está acontecendo. Sinto muito, pessoal, deveria ser sobre tênis, mas é muito frustrante ver vídeos todos os dias”, acrescentou Jabeur. Um total de 9.025 pessoas foram mortas em ataques israelenses em Gaza desde os ataques terroristas do Hamas em 7 de outubro, de acordo com dados divulgados quinta-feira pelo Ministério da Saúde palestino em Ramallah, extraídos de fontes do Hamas. Mais de 22.000 outras pessoas ficaram feridas.

    Os hospitais em Gaza também enfrentam dificuldades para tratar pacientes gravemente feridos devido à falta de suprimentos médicos e às condições terríveis, segundo trabalhadores humanitários. O bombardeio de Gaza por Israel continuam desde os ataques surpresa do Hamas, em 7 de Outubro, que mataram mais de 1.400 pessoas e fizeram mais de 200 reféns em território israelense.

    “Não é uma mensagem política, é apenas humanidade. É isso. Eu quero paz neste mundo”, disse Jabeur. A tenista não é a único atleta árabe que ofereceu ajuda financeira para ajudar os palestinos. No mês passado, o Crescente Vermelho Egípcio, uma instituição de caridade que fornece serviços médicos e ajuda humanitária, confirmou que o atacante egípcio do Liverpool, Mohamed Salah, fez uma doação para ajudar nos seus esforços de socorro em Gaza.

    Em 2021, Jabuer se tornou a primeira mulher árabe a conquistar um título WTA e, em 2022, tornou-se a primeira mulher árabe ou norte-africana a chegar às semifinais e depois à final de um Grand Slam.

    Ao vencer sua primeira partida no grupo das finais do WTA deste ano, Jabeur receberá pelo menos US$ 198.000 (R$981.000) em dinheiro. Não está claro quanto ela pretende doar.

    “Tento ficar longe das redes sociais o máximo que posso, mas é muito difícil”, disse Jabeur aos repórteres mais tarde, em entrevista coletiva. “Você vê vídeos, fotos, são fotos horríveis. Isso não me ajuda a dormir nem a me recuperar muito bem e o pior é que me sinto desesperada. Sinto que não posso fazer nada. Eu gostaria de ter uma mão mágica e acabar com tudo isso e ter paz para todos”, lamentou.

    A vitória também aumentou as esperanças da atleta de 29 anos de avançar para as semifinais. Jabeur agora deve vencer a tetracampeã do Grand Slam, Iga Świątek, para ter alguma chance de classificação para a próxima fase. Świątek derrotou Coco Gauff na quarta-feira e deixou a qualificação do grupo em aberto, com cada tenista tendo mais um jogo para disputar.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original