CNN Esportes

Versões de Daniel Alves podem “prejudicar a percepção dos magistrados”, diz criminalista

Lateral mudou por cinco vezes versões da acusação de estupro, na Espanha

Jairo Nascimentoda CNN

São Paulo

Em entrevista à CNN, o advogado criminalista Pedro Iokoi afirmou que as mudanças nas versões de Daniel Alves sobre a acusação de estupro podem “prejudicar a percepção dos magistrados” e gerar dúvidas durante o julgamento, na Espanha. Para ele, esta não é a melhor estratégia de defesa para o acusado.

Alves mudou cinco vezes a versão do suposto crime ocorrido em dezembro de 2022, em Barcelona. Ele foi preso preventivamente em janeiro de 2023.

Veja as versões de Daniel Alves sobre estupro

  1. Daniel Alves diz não conhecer a vítima
  2. Jogador afirma que encontrou a vítima no banheiro
  3. Lateral diz ter recebido sexo oral
  4. Jogador afirma que teve relação sexual consensual
  5. Alves diz que estava sob efeitos do álcool

“Quando o acusado muda muitas vezes a sua versão, é óbvio que isso acaba gerando uma dúvida em qual versão o magistrado vai acreditar, portanto, não é a melhor estratégia de defesa e parece que a defesa vem tentando se adaptar às novas descobertas do fato. Talvez essas mudanças possam prejudicar a percepção dos magistrados em relação a versão dele”, comentou.

O jogador seria ouvido nesta segunda-feira (5), porém a defesa solicitou a mudança para o terceiro e último dia do julgamento, na quarta (7). Daniel Alves nega todas as acusações e afirma que a relação foi consentida. O especialista comentou que este é um direito básico do acusado, pois o “interrogatório é uma prova de defesa” e, assim, ele terá condições de se manifestar sobre todas as provas apresentadas e testemunhos ouvidos durante o processo.

No primeiro dia de julgamento, a vítima, uma prima, uma amiga e três funcionários da boate foram ouvidos. Nesta terça-feira (6), cerca de 20 testemunhas falarão sobre o caso no Tribunal, na Espanha.

Relembre o caso Daniel Alves

Preso desde o dia 20 de janeiro de 2023, em Barcelona, acusado de crime sexual, Daniel Alves está próximo de seu julgamento. O brasileiro de 40 anos foi detido ao prestar depoimento sobre o caso de agressão sexual contra uma mulher na madrugada do dia 30 de dezembro de 2022.

O Ministério Público pediu a prisão preventiva do atleta, sem direito à fiança, e a titular do Juizado de Instrução 15 de Barcelona acatou o pedido, ordenando a detenção.

Daniel Alves é acusado de abusar sexualmente de uma mulher na casa noturna Sutton, em Barcelona, na Espanha. O atleta, que defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo do Catar, teria trancado, agredido e estuprado a denunciante em um banheiro da área VIP da boate, segundo o jornal El Periódico. Ela procurou as amigas e os seguranças da balada depois do ocorrido.

A equipe de segurança da casa noturna acionou a polícia catalã (Mossos d’Esquadra), que colheu depoimento da vítima. Uma câmera usada na farda de um policial gravou acidentalmente a primeira versão da vítima sobre o caso, corroborando o que foi dito por ela no depoimento oficial.

A mulher também passou por exame médico em um hospital. Daniel Alves foi embora do local antes da chegada dos policiais.

Nos últimos meses, a Justiça espanhola tem negado todos os pedidos do brasileiro para responder ao processo em liberdade, sob a alegação de risco iminente de fuga de Daniel Alves para o Brasil.

Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas