Diamante rosa muito raro é vendido por US$ 26,6 milhões em leilão em Genebra


Reuters
12 de novembro de 2020 às 09:51 | Atualizado 12 de novembro de 2020 às 13:43

 

Um diamante rosa extremamente raro extraído de uma mina na Rússia foi vendido por US$ 26,6 milhões nessa quarta-feira (11), informou a casa de leilões Sotheby’s, que descreveu a pedra como “uma verdadeira maravilha da natureza”.

A Sotheby’s havia estimado que o diamante – “O espírito da rosa”, em homenagem a um espetáculo de balé – seria vendido por um valor entre US$ 23 milhões e US$ 38 milhões no leilão em Genebra.

Assista e leia também:
Diamante de 102 quilates pode render até US$ 30 milhões em leilão
R$ 101 milhões: com diamantes de Cabral, leilão de 'bens do crime' bate recorde

Pedra foi minada na Rússia em julho de 2017 e tem 14,83 quilates

A pedra foi comprada por um apostador que estava ao telefone e preferiu permanecer anônimo

Foto: Reprodução - 11.nov.2020 / Reuters

As apostas começaram em cerca de US$ 17,4 milhões e aumentaram até o preço final de US$ 22,9 milhões (mais comissão). A pedra foi comprada por um apostador que estava ao telefone e preferiu permanecer anônimo, segundo a casa de leilões.

O especialista em joias Benoit Repellin, que comandou a venda, disse que essa compra estabeleceu um recorde para um diamante classificado como rosa-roxo vívido vendido em um leilão. A pedra de 14,83 quilates é a maior com essa graduação de cor a ser leiloado.

Pedra foi minada na Rússia em julho de 2017 e tem 14,83 quilates

Pedra foi encontrada em mina na Rússia em julho de 2017 e tem 14,83 quilates

Foto: Reprodução - 11.nov.2020 / Reuters

Encontrado em uma mina pela produtora de diamantes russa Alrosa em julho de 2017, o diamante foi separado do maior cristal rosa encontrado no país, informou a Sotheby's. A pedra foi exibida em Hong Kong, Singapura e Taiwan.

Os diamantes naturalmente coloridos surgem porque possuem uma estrutura que refrata luz para produzir pedras coloridas, em vez de brancas.

Pedra foi minada na Rússia em julho de 2017 e tem 14,83 quilates

Os diamantes naturalmente coloridos surgem porque possuem uma estrutura que refrata luz para produzir pedras coloridas, em vez de brancas

Foto: Reprodução - 11.nov.2020 / Reuters