Itália terá espaços provisórios para vacinação assinados por arquiteto renomado

Stefano Boeri afirma que a arquitetura foi projetada para “transmitir um símbolo de serenidade e regeneração”

Rob Picheta, da CNN
16 de dezembro de 2020 às 10:24
Pavilhão de vacinação
Projeto de um dos Pavilhões, idealizados por Stephano Boeri
Foto: Stefano Boeri Architetti

Centenas de pavilhões provisórios de madeira, adornados com um gráfico de flores que simbolizam a regeneração, serão instalados em toda a Itália a partir de janeiro para servir como postos de vacinação contra a Covid-19.

Os projetos das estações foram revelados na segunda-feira (13) pelo arquiteto Stefano Boeri. Junto com uma equipe de consultores, ele desenvolveu o logotipo e os aspectos visuais do programa de vacinação do país.

Um total de 1.500 pavilhões circulares temporários serão montados em praças e centros urbanos da Itália, segundo relatou o estúdio de Boeri à CNN.

Com o interior em madeira, eles terão uma concha de tecido na área externa decorado com uma grande prímula.

Leia também:
Descoberto em shopping, pedreiro vence concurso de modelos que revelou Bündchen
Moedas de ouro e tesouros medievais são descobertos no Reino Unido em lockdown
Pantone revela as cores do ano de 2021: Ultimate Gray e Illuminating

Boeri disse em um comunicado à imprensa que a arquitetura foi projetada para “transmitir um símbolo de serenidade e regeneração”.

“Ser vacinado será um ato de responsabilidade cívica, amor ao próximo e redescoberta da vida. Se esse vírus nos prendeu em hospitais e residências, a vacina nos trará de volta ao contato com a vida e a natureza que nos cerca”, acrescentou.

Pavilhão Boeri
Os 1.500 pavilhões temporários serão montados em praças e centros de cidades em toda a Itália
Foto: Stefano Boeri Architetti

Boeri é um dos arquitetos mais renomados da Itália, famoso pelo projeto das duas torres do Il Bosco Verticale (Floresta Vertical), em Milão, cuja fachada é tomada por árvores vivas e vegetação.

Segundo o estúdio, ele projetou os pavilhões de vacinação gratuitamente.

Destaques do CNN Brasil Business:
Com atraso recorde e sem debate, Congresso deve votar base do Orçamento hoje
Real lidera ganhos entre moedas emergentes com queda do dólar; futuro é incerto
Podcast: Bolsonaro avisa que auxílio não vai ser prorrogado e Ceagesp seguirá estatal

Mais de 65 mil mortes por coronavírus já foram registradas na Itália, de acordo com dados coletados pela Universidade Johns Hopkins – ultrapassando o Reino Unido como o país europeu com maior número de mortos.

Uma tendência pequena, mas notável, de ceticismo sobre a vacina na Itália preocupa cientistas há vários anos. Em 2018, o governo italiano suspendeu a vacinação obrigatória para estudantes.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).