Bebê que fez sucesso na internet em 1996 ganha novas versões e será vendido como NFT

Um dos primeiros virais da internet ganha novos formatos e será vendido como NFT

Novas versões do "Dancing Baby", feitas por diversos artistas, serão vendidas como NFTs
Novas versões do "Dancing Baby", feitas por diversos artistas, serão vendidas como NFTs HFA Studio/Autodesk

Jacqui Palumboda CNN

Ouvir notícia

Se você nasceu antes de 1990, talvez se lembre do gráfico em 3D de um bebê quase nu dançando repetidamente que virou um dos primeiros fenômenos virais da internet. O estranho, mas cativante, “Dancing Baby” começou a espalhar-se via correntes de e-mail em 1996 antes de aparecer em diversos canais de notícias nos Estados Unidos e na série “Ally McBeal”.

Para fazer com que se sinta ainda mais velho, a criança (irreal) estaria completando 26 anos atualmente.

Para celebrar a jornada do bebê para a vida adulta, o GIF ganhou uma nova versão 3D graças a seus criadores originais, Michael Girard, Robert Lurye e John Chadwick, em colaboração com o grupo criativo de Viena HFA-Studio. E, ao estilo de 2022, os novos bebês dançantes serão lançados como NFTs (“non-fungible tokens”) na próxima semana.

Ao longo dos anos, o bebê tornou-se um símbolo da década de 90 e do início da nostalgia na internet, aparecendo no programa de retrospectiva do canal VH1 “I love the 90’s” (“Eu amo os anos 90”, em tradução livre), e, mais recentemente, no videoclipe produzido pelos músicos Charli XCX e Troye Sivan para a canção “1999”. O cofundador da HFA Studio Charlie Scheichenost disse que o gráfico ainda tem o mesmo apelo que tinha há duas décadas.

“É o lugar do improvável – algo [sobre ele] se conecta com as pessoas”, disse Scheichenost. Ele e seus colegas projetaram o bebê em seu espaço de galeria e, quando as janelas estão abertas, o gráfico atrai transeuntes intrigados. “Eles imediatamente param e falam sobre ele”, acrescentou.

“Dancing Baby” ganha nova versão na internet / Autodesk

O recém renderizado “Dancing Baby” parece ser mais realista do que o original, com tons de cores aprimorados e uma qualidade de imagem mais nítida. Também parece um pouco mais gordo.

Ao atualizar o meme, o HFA-Studio também pediu aos artistas digitais contemporâneos que “remixassem” a imagem com suas próprias interpretações como parte da nova coleção NFT. Chris Torres, criador do meme felino do arco-íris “Nyan Cat”, fez um “Nyan Baby” de 8 bits, enquanto o artista Yuuki Morita, que faz criaturas digitais inquietantes, optou por uma criança com várias cabeças que “representa o choro de. ..(vivendo) no caos dos tempos modernos”, de acordo com um comunicado.

Origens obscuras

Pode ser difícil explicar por que uma imagem em particular se torna viral, e o “Dancing Baby”, que é amplamente creditado como o primeiro grande meme da internet, não é exceção.

Como muitos memes, era originalmente um gráfico obscuro – neste caso, um arquivo de amostra para o plug-in de animação Character Studio da empresa de software Autodesk (criado pela Unreal Pictures, uma empresa co-fundada por Girard, Chadwick e o animador e artista Susan Amkraut, com Lurye mais tarde se juntando como freelancer). Remixar ou modificar o bebê era fundamental para seu propósito original.

“Como um dos muitos arquivos de amostra de animação incluídos na versão 3dsMax Character Studio 1.0, o arquivo de animação Dancing Baby ajudou os clientes a entender como usar e integrar nossas ferramentas de animação de personagens”, explicaram Girard, Chadwick e Lurye em um e-mail conjunto. “Os arquivos de amostra também servem para inspirar os clientes e sugerir métodos para criar seu próprio conteúdo original.”

“Dancing Baby” em nova versão / Kid Eight

A jornada viral do gráfico começou com trocas por e-mail. Girard disse que provavelmente foi enviado pela primeira vez por um dos clientes da Autodesk, Ron Lussier, que fez modificações no arquivo original e anexou uma versão de baixa resolução a uma mensagem. Mas, de acordo com a Vox, o “Dancing Baby” se espalhou por toda a Internet quando o desenvolvedor da web John Woodell o transformou em um GIF.

No ano passado, o ex-diretor de arte da banda de rock Nine Inch Nails, Rob Sheridan, também se apresentou como um improvável contribuinte para a fama viral inicial da imagem, compartilhando via Patreon que no final dos anos 90 ele administrava um site de fãs “Dancing Baby” onde os usuários poderia fazer upload de suas próprias variações.

“Meu pequeno contador de visitas estava passando do teto”, escreveu ele. “Os visitantes começaram a enviar edições alternativas do bebê dançante que publiquei com prazer em minha página, incluindo a versão que combinava a animação original com a música ‘Hooked on a Feeling’, da Blue Swede”.

“Logo eu estava adicionando outras versões ‘remixadas’ que as pessoas estavam enviando: ‘Rasta Baby’, ‘Techno Baby’, o infame ‘bebê bêbado'”, acrescentou.

Apelo às massas

De acordo com o artista de mídia xtine burough, que também é professor da Universidade do Texas em Dallas com interesse acadêmico no meme, o “Dancing Baby” alcançou seu objetivo original de inspirar criatividade – e muito mais.

“Foi lançado como algo que foi bem recebido para ser modificado”, disse burough, que prefere seu nome estilizado com letras minúsculas, em entrevista por telefone. “E vimos os resultados disso, e ainda estamos vendo os resultados disso. E isso realmente dá às pessoas a liberdade de pegar a imagem e permitir que ela atenda ao contexto de hoje.”

/ Chris Torres/Nyan Cat

A Unreal Pictures e a Autodesk compartilharam os direitos autorais do “Dancing Baby” até 2004, dividindo os lucros de mercadorias que vão de camisetas e protetores de tela a um brinquedo de corda, de acordo com seus criadores. Então, a Autodesk adquiriu a Unreal Pictures. Hoje, os criadores do bebê são conhecidos por meio de entrevistas ocasionais e lendas da internet, embora tenham evitado os holofotes.

Eles também não sabem ao certo por que seu gráfico se tornou um símbolo da época, acrescentando que a animação por computador era, na época, experimental e “a internet em 1996 ainda era uma tecnologia inocente e onírica”.

Mas burough acha que é bastante simples. “Nossa, é realmente um bebê nu, certo?” ela disse com uma risada. “E eu não quero dizer… roupas ou sem roupas, mas é essa figura nua que é usada para simbolizar muitas circunstâncias diferentes.”

Mas também é “a física de um bebê dançante”, acrescentou. “A maneira como ele se move, é realmente difícil não rir disso.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN