Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Convidado de honra na 26ª Bienal do Livro, Portugal investe no turismo literário

    Em entrevista exclusiva à CNN, Luis Araujo, presidente do Turismo de Portugal, comenta a retomada econômica do setor e quais os roteiros disponíveis para os fãs de literatura

    Letícia Britoda CNN

    Em São Paulo

    Ouvir notícia

    Nos últimos anos, impulsionado pelo isolamento da pandemia, o consumo de livros e e-books disparou no Brasil. E, acompanhando essa tendência, opções culturais para fora das páginas também despontaram. É o caso do turismo literário, uma das apostas do governo de Portugal para o setor.

    Homenageados na 26ª Bienal do Livro, que acontece na cidade de São Paulo até 10 de julho, o governo português visita o Brasil nesta semana. É mais uma das ações propostas entre os dois países para as comemorações do bicentenário de Independência do Brasil, no próximo dia 7 de setembro.

    “É uma ocasião importante, porque se comemora, principalmente depois desses dois anos de pandemia, uma retomada. E também nos permite mostrar um país diferente, um Portugal que valoriza sua cultura, sua literatura”, diz Luis Araújo, presidente do Turismo de Portugal.

    Em entrevista exclusiva à CNN, Luis Araujo ressaltou a participação do brasileiro para os números do turismo em Portugal. Seja pela língua, seja pela proximidade entre as culturas, Portugal é um dos destinos internacionais preferidos do brasileiro.

    “Em 2019, o Brasil foi o 5º principal mercado emissor de turistas para Portugal. Nós recebemos 27 milhões de turistas em Portugal, em todo o país em 2019, e o Brasil foi responsável por quase 1,3 milhões de pessoas só para o nosso país”, acrescenta o presidente do Turismo português.

    Luis Araujo, presidente do Turismo de Portugal, em entrevista exclusiva à CNN / Suelen Souza / CNN Brasil

    O turismo literário, uma forma diferente de se viajar, propõe unir o fascínio pelo universo da literatura e diferentes experiências no campo da gastronomia, hospedagem, cultura e locais históricos. “É tentar encontrar um elo que mostre todo o país e todos esses ativos que nós temos, e a literatura permite isso”, explica Luis Araujo.

    E, sendo terra dos principais autores da língua portuguesa – como Camões, Gil Vicente, Eça de Queiroz e também autores contemporâneos, como José Luis Peixoto e Afonso Cruz –, Portugal possui diversas opções para leitores que desejam embarcar nesses destinos.

    Estande dedicado a José Saramago, escritor português, na 26ª Bienal do Livro / Cavaliere Foto e Video | Vanderlei Mendonça

    Temos mais de 45 casas de autores portugueses, desde a casa do Eça até a Fundação Saramago; temos bibliotecas nacionais lindíssimas, como a de Mafra ou a de Coimbra; temos livrarias tradicionais e históricas como no Porto e em Lisboa e temos, por fim, uma série de festivais literários. É uma maneira diferente de conhecer Portugal, que nós juntamos ao enoturismo, ao turismo industrial, ao turismo da arte contemporânea, da arquitetura, entre outros

    Luis Araujo, presidente do Turismo de Portugal

    Os roteiros de turismo literário vêm acompanhados de uma recente – e rápida – retomada do setor em Portugal. No primeiro quadrimestre de 2022, o país já superou em 16% os números do turismo em 2019, antes da pandemia.

    Dentre os fatores que explicam esses resultados, Luis Araujo destaca o arrefecimento das medidas de restrição da pandemia e, durante 2020 e 2021, medidas de auxílio do governo português para o setor de turismo.

    Foram mais de 3 bilhões de euros, cerca de quase 18 bilhões de reais que foram dados à indústria do turismo em Portugal para apoiar a indústria e manter os motores trabalhando. E o resultado que se espera desse ano é que vamos conseguir ultrapassar o máximo histórico de 2019, que foi 19 bilhões de euros de receita do setor do turismo para a economia em Portugal”, acrescenta Luis Araujo. E o turista brasileiro é visto como parte importante dessa retomada.

    Eu acredito que há uma vontade muito grande para viajar por parte do mercado brasileiro e acho que até o final do ano vamos conseguir não sei se retomar os números de 2019, mas pelo menos encaminhar para que nos próximos anos o mercado brasileiro continue a ser um dos principais mercados para Portugal

    Luis Araujo, presidente do Turismo de Portugal

    Mais Recentes da CNN